sexta-feira, 21 de novembro de 2014

AINDA SOU VIRGEM ?

Na época eu era uma loirinha nova e virgem, mas não agüentava mais! Eu precisava transar! Todas as minhas amigas da escola já tinham feito e somente eu ficara para trás. Me sentia excluída, elas já sabiam o que era ser mulher e era ruim estar em uma roda onde a conversava rolava em torno de sexo e eu não tinha conhecimento do assunto. Estava me sentindo desenturmada. Elas comentavam sobre os garotos da escola e sobre os membros que se destacavam nas calças do agasalho. Ficava embaraçada e um pouco constrangida. Eu teria que fazer algo para não ser mais uma ET no meu grupo.

Em casa minha mãe conversava comigo sobre sexo desde cedo e fui instruída a transar somente quando achasse a “pessoa certa”, mas e se ela nunca aparecesse? E se somente depois dos vinte eu a encontrasse? Como casaria sem saber como era o sexo? Não podia esperar e ficar nesta duvida, nesta aflição. Então pensei em como poderia resolver este problema... Bom ... Sexo anal poderia ser a solucao. Vi na internet que várias garotas faziam isso para preservar a virgindade para um cara que realmente amasse.. Entao era isso!  Eu poderia dar o meu cuzinho .Dessa forma saberia o que era transar e a bucetinha ficaria reservada para o cara certo ( desde que ele não demorasse muito... rs....)

Achei minha idéia incrível pois desde pequena descobri que eu tinha muito prazer quando encostava no meu ânus Na adolescência achava minha bundinha bonitinha. Ela era branca, empinada e bem redondinha. Ficava olhando no espelho e imaginava com seria ser comida ali. Como um pau poderia entrar naquele buraco tão fechadinho? Cheguei a me aventurar com um dedinho e achei a situação excitante. Parecia que estava fazendo alguma coisa proibida, que trilhava um caminho novo que me instigava cada vez mais.

Mas aí veio a minha maior duvida e preocupação: Quem seria o eleito para tirar minha virgindade e comer meu cuzinho? Teria que ser uma escolha bem feita! Não poderia ser um moleque que saísse contando para todo mundo que transou comigo e nem um garoto muito inexperiente. Também pensei que eu teria que disfarçar, me deixando seduzir para que minguem percebesse que a vontade de dar a bundinha era minha. Tinha que faze-lo pensar que a idéia de comer meu cuzinho era dele.

Pensei em quem poderia ser e achei a pessoa perfeita para isso. Ele era apaixonadinho por mim , dois anos mais velho e já haviamos ficado algumas vezes juntos. Seu nome era Tiago . Para concretizar meus desejos resolvi ligar para ele sabendo que seria convidada para nos vermos, dito e feito.

Fomos ao shopping e ficamos juntos de novo. Ele gostava mesmo de mim, dizia sempre que eu era linda e que queria namorar comigo. Mas eu não queria um namorado , queria apenas transar ,mas não poderia falar isso com ele. Ficamos juntos mais algumas vezes e começamos a nos provocar, um passando a mão no outro. Eu sentia seu pau duro roçando em mim enquanto nos beijavamos e ele , por ser um pouco mais velho, também deveria sentir que eu ficava excitada.

Um dia conversamos sobre sexo e disse a ele que tinha vontade de fazer mas não queria perder minha virgindade. Ele sorriu , baixou os olhos e disse:

- Mas tem algumas coisas que podemos fazer sem voce perder a virgindade
- Do que voce esta falando? Perguntei interessada.
- Bom... Tem sexo oral e... Também anal....

Sorri para ele e perguntei se ele conseguiria ficar só nisso , sem tentar colocar na minha xoxotinha.

Ele rapidamente disse que sim, respeitaria minha vontade e só colocaria na bundinha.

- Mas será que não vai doer – questionei
- Não, não. Se você quiser mesmo, eu arrumo um lubrificante e faço com cuidado.

Combinado todos os detalhes, acertamos que na próxima semana eu iria até sua casa. Eu quase morri de ansiedade, louca para que os dias passassem depressa. Em uma sexta-feira, exatamente as 15 hs da tarde eu estava entrando na casa de Tiago, ele logo me levou para o seu quarto. Estavamos sozinhos em casa e tudo poderia acontecer sem pressa. Nos beijamos e sem perder tempo ele começou a passar a mão por todo o meu corpo. Como é bom beijar sabendo que vai rolar alguma coisa a mais.

Ele apertava meus peitinhos e decidiu senti-los por baixo da roupa. A situação esava um pouco incômoda e eu tive que tirar minha camiseta. Rapidamente ele passou a sugar meus seios, passando a liígua e brincando com os biquinhos que estavam salientes. Nós dois respiravamos com dificuldade, tanto era o tesão que sentíamos. 
Me atentei ao seu pau, afinal nunca tinha tido um para mim. Quando peguei naquelepau duro, logo comecei a massagea-lo. Como Tiago, tambem era inexperiente, pelo menos percebi ali. Ele nao deixou muito, pois acho que estava com tanto tesao que poderiagozar ali. Quando fiz mençao de me abaixar para chupa-lo. Ele se soltou para tirar o resto da sua roupa, aproveitei e tambem tirei o que restava, mas nao tirava os olhos daquele pau, aproveitei e o coloquei, num puxao, na minha boca e chupei-o com vontade, era gostoso, saboroso. Mas acho que ele ficou com receio de gozar, me pediu para esperar e voltou a tirar sua roupa.


Logo nossa roupas foram deixadas de lado e Tiago me deitou na cama fazendo eu abrir minhas pernas para ele. Então se posicionou com sua cabeça entre elas e passou a me chupar. Que delícia !Que lingua gostosa! Gozei com ele fazendo isso e Tiago, ávido por me penetrar e sabendo das minhas condições ,me virou e começou a lamber meu cuzinho com deliciosas linguadas quentes e molhadas. Eu já estava doida ,implorando para que ele me fodesse bem gostoso.

De quatro ele começou a forçar a cabeça do seu pau na entradinha de meu cu ,mas estava muito apertadinho e não entrava. Um lubrificante foi sacado do criado mudo e tive meu cuzinho lambuzado com seus dedos trémulos. O gel era geladinho e fazia cócegas no meu ânus quente Depois de ter o rabinho todo melecado. Ele espremeu o tubo por toda extensão de seu pau e  espalhou com mão. Eu olhava para trás acompanhando tudo o que ele fazia. Então ele mirou no meu cuzinho e forçou a cabecinha que entrou com alguma dificuldade. Sentia meu esfincter enforcar seu cacete. Acho que eu estava nervosa e ele percebeu isso pois murmurou no meu ouvido:

- Calma minha querida, agora que a cabecinha já entrou o resto vai deslizar para dentro traquilamente.. - Dizendo isso forçou mais um pouco e senti aquele troço entrar no meu rabo como se fosse um trem... Parecia que não acabava nunca. Senti um pouco de dor e soltei um grito. Vi estrelas e tentei fugir afastando minha bunda mas ele me puxou pelos quadris. Eu disse assustada:

-Tá doendo demais... Tira....Tira...

- Por favor não me pede isso.

- Aiiii – Eu rebolava e tentava desengatar dele mas o maldito me segurava com força pelos quadris

- Se eu tirar você não vai deixar eu colocar de novo.

Comecei a chorar baixinho e ele sussurrava no meu ouvido:

- Calma amorzinho, relaxa que a dor já passa – Disse mordiscando minha orelha.

Aos poucos tive a impressão que a dor diminuiu e eu fiquei mais calma. Percebendo isso, continuou a enfiar seu cacete dando umas pequenas pausas quando sentia que estava doendo muito. Ele se curvou e beijou minha boca de lado enquanto com uma de suas mãos estimulava o meu clitoris.

Ele me chamava de putinha gostosa e dizia que estava adorando foder meu rabo. Eu  ia para frente e para trás sentindo cada milimetro entrando e saindo do meu rabinho. Minha bunda batia nas coxas dele e seu pau deslizava macio para dentro de mim. As vezes eu segurava no seu saco e sentia suas bolas rijas. Para dar mais prazer eu apertava o cuzinho em torno do seu cacete pois assim li que era bom.  Mas cada vez que fazia isso a dor aumentaaa , mas eu pensei que deveria tornar a experiência mais prazeirosa possivel para ele e então disse com voz melosa.

- Vai... Come minha bundinha... Me fode... Que delícia!
Ele comecou a se empolgar e fazer com mais força, a cada estocada eu sentia minhas pregas sendo arrebentadas enquanto ela bombava rapidamente. Me senti uma putinha e pedi ainda mais, não que eu tivesse parado de sentir dor mas por que achei a situação muito excitante. Comecei a sentir um prazer intenso e gozei, gozei sem mesmo tocar na minha bucetinha. Decidi trocar de posição e deitei ele na cama. Mirei o seu pau no meu cuzinho e fui sentando devagarzinho. Que delicia era sentar naquele cacete. Assim eu podia controlar a velocidade e a profundidade que aquele cacete delicioso entrava em mim. Acabei esquecendo da dor e tentei somente me concentrar no prazer

Agora por cima eu cavalgava , sentando e descendo conforme queria, nesta posição senti algo quente deslizar por meu rabinho a cada estocada, mas continuei fazendo os movimentos de cima para baixo até que ele anunciou que estava gozando, com um gemido forte senti seu pau espirrar dentro de mim e parei de me mexer, fiquei apenas rebolando sem tira-lo de dentro

Ele ofegava e eu, mais relaxada, senti seu pau amolecer, desencaixei e vi que seu pau estava todo melecado de sangue, senti um pouco de vergonha mas ele não ligou muito para aquilo. Me deu um beijo no rosto e me convidou para um banho.

Embaixo do chuveiro nos beijamos e nos ensaboamos. Eu sentia o cuzinho arder... Mas eu estava contente e uma sensação de felicidade invadia o meu peito. Agora eu sabia o que era transar, sabia o que é ter um homem me dando prazer e me penetrando... A virgindade da minha vagina? ah... esta ainda podia esperar mais um pouco, né?

Conto erótico recebido por email by Dai

TARADOS








                                                          ESSA É A MELHOR


AMIGAS QUE ESTUDAM


Olá estou sendo atrevida em tentar descrever uma experiência sexual em minha vida, não pelo ato em si, mas por acreditar não ser muito boa com as palavras. Se vocês leitores deste conto, concordarem que minha escrita é ruim, por favor, não me xingar muito.

Para começar e auxiliar a imaginação de vocês acredito ser de praxe a minha descrição física... Então vamos lá: Meu nome é Claudia, sou morena clara, olhos castanhos, 1,75 de altura e , modéstia a parte uma mulher atraente . Em meu corpo tenho duas características que me destacam entre as mulheres. Uma boa, da qual me orgulho é minha bunda que é enorme e muito bem torneada e o outro os meus seios, coisa que não gosto por serem muito pequenos. Às vezes pareço ser até um rapazinho de tão pequenos que eles são. Definida as minhas características vamos a história...

Sempre fui uma boa aluna o que fez ao longo dos anos ser muito requisitadas pelas minhas amigas para auxiliá-las nos seus estudos. O que sempre acabei fazendo de bom grado. Nesta época tínhamos um grupo de quatro garotas que se reunia sempre para estudar. Em uma destas ocasiões iniciamos cedo e aos poucos as meninas conforme iam entendo a matéria começavam a ir embora. Até que no final sobramos somente eu e a Cátia.

Cátia era uma menina de uns dezoito anos, morena – clara, olhos claros e peitos incríveis. Eram tão enormes e bonitos que pareciam feitos por algum cirurgião plástico a base de silicone e muito bem desenhados. Empenhadas no estudo não vimos as horas passarem e quando nos tocamos do horário já passava das onze horas da noite. Então ligamos para sua mãe e decidimos que ela dormiria lá em minha casa. Após jantarmos fomos nos deitar e ficamos conversando antes de dormir. No meio desta conversa surgiu o assunto de nossos corpos e logo estávamos falando sobre seios.

Acabei me abrindo com ela e contei sobre o problema que eu tinha com meus seios por achá-los muito pequenos. Ela, para minha surpresa, disse que eu era muito sortuda pois sempre quis ter peitos menores pois eram muito mais bonitos e havia a vantagem de não precisar usar sempre sutiã. Não acreditei no que ela estava falando e disse que os homens preferiam peitos grandes como os dela pois eram muito mais atraente que os meus ovos fritos. Cátia, então me respondeu:

- E que precisa deles? – Caímos na risada e foi então que eu confessei que meu sonho era ter seios como os dela: bonitos e grandes. Cátia me falou que eu não iria gostar e que deveria me espelhar no exemplo dela que aos dezoito anos já tinha os seios levementes caídos como uma mulher mais velha. Duvidei disto e ela me disse que me mostraria. Em seguida tirou sua camisola e o sutiã. Seus seios me impressionaram pois eram ainda maiores do que apareciam por cima da roupa alem de serem absolutamente lindos.

- Seus peitos não tem nada de caídos Cátia. – Disse eu.
- Mas são moles e flácidos – retrucou ela.
- Não são mesmo!
- Pode colocar a mão para sentir.

Não resistindo à tentação coloquei as mãos naquelas gostosuras e pude sentir no mesmo momento a minha xoxota ficar molhadinha. Apertei levemente e senti os bicos se enrijecerem sobre o meu toque. Eles crescerem e ficaram intumescidos tornando ainda mais lindos aqueles seios gostosos. Para disfarçar, tirei a mão deles e disse ao tirar minha camisola:

- Você não gosta dos seus seios? Então dá uma olhada nos meus.

Cátia o estudou por um e eu logo pedi:

- Segura eles para você sentir a diferença.

Cátia atendeu o meu pedido e começou a acariciá-los. Senti minha bucetinha latejar e ficar ainda mais úmida. Cátia, sentindo minha respiração aumentar e entendo isso como um “vá em frente” passou a beijá-los e logo chupá-los com vontade. Mas a única coisa que ela podia chupar eram os bicos que são a única coisa de seio que eu tenho, pois o resto é completamente reto.

Virei a cabeça para trás e fechei os olhos querendo aproveitar ainda mais seus toques. Ela os alisava, apertava os biquinhos e brincava habilmente com a língua. Em seguida demos um longo beijo de língua, tiramos nossas calcinhas e nos deitamos lado a lado.

Em seguida demos um longo beijo de língua, tiramos as calcinhas e nos deitamos lado a lado. Uma acariciava a bucetinha da outra e eu chupava aqueles seios maravilhosos aproveitando cada centímetro daquele monumento. Pensei em quantos caras gostariam de estar no meu lugar. Ela então , veio para cima de mim e começou a beijar meus seios, minha barriga , descendo até meus pelos que foram cheirados até sua língua encontrar minha bucetinha molhada.

Aquilo estava maravilhoso, Cátia me chupava de um jeito que nenhum outro homem havia me chupado. Procurei retribuir o que estava sentindo e me virei por baixo dela até ficarmos em posição de sessenta e nove. Pela primeira vez senti o gosto de uma buceta e procurei tocá-la do jeito que ela me tocava. Nos duas gemíamos e nos chupamos até uma gozar na boca da outra explodindo em um prazer que eu nunca tinha experimentado.

Depois disso dormimos abraçadinhas, no que não tivemos problemas, já que eu costumo mesmo dormir de porta trancada. No dia seguinte fomos à aula normalmente e combinamos de estudar juntas em outras oportunidades. A nossa amizade só cresceu e passamos a andar sempre juntas na escola.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

SOU UMA SAFADA... DEI PARA O MEU CUNHADO



Chamo-me Camila, e nasci com tudo o que os homens gostam seios fartos, cintura fina, quadris largos e uma bunda que não deixa a desejar. Namoro há 02 anos, e era muito fiel ao meu namorado, nunca nenhum homem me chamou atenção, mas sempre percebia que meu cunhado me olhava de forma diferente, ele me olhava dos pés a cabeça. Até que um dia fui dormir na casa do meu namorado e ele estava lá, cheguei cedo, resolvi ir tomar um banho, pois como vinha da musculação estava muito suada. Meu cunhado como de costume me recebeu com um lindo sorriso e uma bela olhada, me elogiou dizendo que eu estava linda, meu namorado, coitado, nunca percebeu os olhares famintos que seu irmão tinha sobre meu corpo.Larguei minha bolsa no sofá, e peguei a toalha para tomar um banho, afinal estava muito suada. Meu namorado disse que iria até ao mercado comprar algumas coisas, pediu até para o irmão ir, mais ele com certeza se negou dizendo que não iria perder o filme por nada, então meu namorado saiu.

Eu entrei para o banheiro e meu cunhado permaneceu na sala vendo TV. Enquanto tomava banho comecei a lembrar das olhadas do meu cunhado principalmente para os meus seios, meu cunhado é um cara sarado, alto, moreno e muito gato, tem um olhar de deixar qualquer mulher de calcinha molhada. Fiquei surpresa comigo mesma, como podia eu me excitar lembrando do meu cunhado. Terminei o banho e meu namorado não tinha chegado, então foi quando lembrei que tinha esquecido as minhas roupas no sofá da sala. Fui até a sala, procurei minhas roupas, enquanto isso meu cunhado não tirava os olhos de mim, ele me olhava como se estivesse imaginando eu peladinha na frente dele, até que algo chamou minha atenção, um volume enorme quase pulava de sua bermuda, ele tentou disfarçar, mais não deu, então eu olhei pra ele dei um sorriso bem provocante, e disse, o que tanto olhas em mim?, ele se sentiu mais a vontade, levantou-se veio próximo de mim e disse que o irmão dele era um cara de sorte, eu com uma cara de safada, gostando da situação e louquinha para sentir o seu enorme cacete em minha chaninha, perguntei se ele queria ter a mesma coisa que o irmão dele tinha a tempos, e ele com a cara surpresa disse que sim, e não conseguia mais pensar em algo a não ser em mim.

 Eu fiquei muito excitada com toda aquela situação, comecei a pensar como seria aquele homem me fudendo gostoso. Ele disse que queria ter um segredo comigo, e eu disse que eu era ótima de guardar segredo, até que ele veio até perto de mim e começou a acariciar meu pescoço, me abraçou bem forte e me empurrou contra a parede, sarrando gostoso no sentido de sobe e desce, eu já não agüentava, quando de repente ouvimos o carro parar, era meu namorado. E agora? Corri me tranquei no quarto, e fui trocar de roupa, enquanto meu cunhado voltou a assistir ao filme. Meu namorado entrou, deixou algumas coisas em cima da mesa e foi até ao quarto, onde eu estava vestindo a roupa, ele entrou trancou a porta e veio me beijar, eu que já estava mais que excitada com toda aquela situação, e meu namorado veio me beijando bem forme e sarrando do mesmo modo em que o seu irmão tinha sarrado, tirou minha roupa me lambeu toda a minha bocetinha e me fudeu gostoso, enquanto isso, meu cunhado, estava na sala, meu namorado me chupou toda, eu o lambi por inteiro, porém imaginando como seria chupar a pomba gostosa do irmão dele, fiz amor com meu namorado pensando no meu cunhado, depois que terminamos tudo saímos do quarto, confesso que eu fiquei meio sem jeito em saber que meu cunhado sabia que eu estava transando com o irmão dele, mas não deixei ninguém perceber.

Meu namorado foi tomar um banho e eu fui até a cozinha guardar o que ele tinha comprado meu cunhado quando viu que meu namorado está no banho, não pensou duas vezes e foi até a cozinha, estava na geladeira, quando nós viemos e me deu um abraço por trás, e começou a alisar meus seios, dizendo que estava louco só de pensar que o irmão dele estava fazendo o que ele queria fazer, fiquei louca de tesão, ser desejada daquele jeito; ele começou a alisar minha barriga, e foi subindo as mãos e pegou com muita força em meus seios, fiquei louca, disse pra ele parar e ele não parou, queria resistir mais não conseguia, disse a ele que era arriscado o irmão dele nos pegar, mais quanto mais eu falava mais ele se excitava, ele me colocou de frente a ele e começou a chupar meus seios, perecia que nunca tinha mamado na vida, sugava meus mamilos ora com força ora passava só a ponta da língua, eu já louca de tanto prazer, comecei a passar a mão em seu pau, me surpreendi, e disse ? minha nossa que cacete enorme, dá vontade de lamber tudo?, ele não pensou duas vezes, tirou a bermuda e colocou seu membro gigantesco pra fora, eu cai de boca, lambi ele todo, minha chaninha estava inchadinha, louca para ser penetrada por aquele pau grande e grosso, parei de chupá-lo quando vi que corríamos muito risco do irmão dele aparece, já que fazia certo tempo que estava no banho, decidi parar, olhei pra ele e disse que era melhor esperar mais um pouco, pois se o irmão dele chegasse não ia dar certo.

Paramos me recompus e fui até o banheiro para ver se meu namorado já havia terminado o banho. Depois de um tempo jantamos, e o irmão dele disse que iria dormir lá, já que estava tarde. Meu namorado concordou. Eu e meu namorado entramos para o quarto e o meu cunhado gostoso, foi até o quarto dele. Meu namorado não queria me dar sossego, queria sexo e mais sexo, disse que naquela noite eu seria toda dele, foi quando ele me apresentou um gel lubrificante, queria penetrar gostoso no meu cuzinho, mais eu tinha medo, nunca tínhamos feito isso, mais começamos a transar, eu estava piradinha de excitação, queria gozar muito naquela noite, meu namorado começou me chupando, me lambendo dos pés a cabeça, pegou seu cacete gostoso e colocou em minha boquinha, lambi ele todo, lembrando do meu cunhado, afinal era muito excitante tudo o que estava acontecendo, eu queria pau no meu rabinho, na boca, na bocetinha, queria tudo, queria gritar, gemer, queria que o m eu cunhado escutasse o meu tesão e de propósito, gemi um pouco alto, meu namorado disse que eu fizesse mais baixo, mais não dava queria que meu cunhado ouvisse, meu namorado queria comer meu cuzinho, mais eu não deixava, tinha medo, mais ele me colocou de quatro e com seus dedos foi enfiando no meu rabinho e lambendo tudinho, eu estava ficando cada vez mais com vontade de fuder, mais tinha medo, ele colocou gel em todo o seu membro e no meu rabinho também, eu tinha medo, mais queria, então dei sinal verde, ele começou a penetração, colocou a cabecinha, doeu um pouco, mais como eu estava cheia de tesão, deixei ele ir em frente, ele colocou a metade, mais não agüentei e pedi para ele parar.

Continuamos a transar de outros modos, ele deitou e eu fiquei de costas pra ele, ele metendo com força, gozamos quase que instantaneamente, foi ótimo, fomos ao banheiro e tomamos um banho, nos deitamos, ele como estava muito cansado dormiu logo, e ele quando dorme, não acorda fácil, eu como sou uma ?moça? que não durmo fácil, ainda mais imaginando o meu cunhado no quarto ao lado, não pensei duas vezes, deixei meu namorado dormindo, me levantei e fingi ir beber água, passei na porta do quarto do meu cunhado, estava trancada, queria saber como ele estava, tomei água e decidi bater na porta dele, ele estava só de cueca, e excitado, e eu com uma camisola linda e transparente, porém com um sobre tudo, ele abriu a porta e perguntou pelo irmão, eu disse que estava dormindo, eu entrei no quarto dele, sentei na cama e ele veio até a mim e disse que tinha ouvido meus gemidos, eu disse que queria gemer pra ele, que não dava pra segurar a vontade de sentir ele dentro de mim.

Ele não exitou e veio até a mim, começou tirando meu sobretudo, abriu minhas pernas, e começou a me lamber, lambia com gosto, mordia meu clitóris, e chupava tudo, ele começou a lamber meu cuzinho, nossa como eu fiquei doida, ele viu que eu gostei e continuou a lamber o meu cuzinho, beijou meus seios, beijou minha boca, meu pescoço, tirou o cacete dele pra fora, e eu cai de boca novamente, queria engolir, queria sentar em cima e gozar pra ele, chupei tudo, depois peguei seu pau que nessa hora já estava mais que duro, e comecei a passar na minha bucetinha recém fudida, estava encharcada, ele abriu ainda mais as minhas pernas e colocou a bacecinha e tirava, e eu pedindo para ele colocar logo, ele tirava e botava, até que ele botou de vez, nossa, como era bom, era muito tesão, ele começou a penetrar com força, quase estava gozando, eu fiquei em pé ele metendo por trás, aquele homem de deixava louca, até que ele pegou o pau dele e começou a passar no meu cuzinho, minha nossa, eu não pensei duas vezes quando olhei pra ele e disse, vai em frente,

Ele viu q era quase  virgem e meteu com cuidado, doeu um pouco, aquele pau grosso só podia doer, eu não parei me inclinava mais, ele colocou tudo, e feito um louco acelerou e gozou dentro do meu cuzinho, eu fiquei louca de tesão, logo ele trocou a camisinha e meteu mais ainda na minha bucetinha, eu estava quase gozando quando ele caiu de boca na minha xana inchadinha, ele me chupou de uma forma tão diferente que gozei na boca dele, minha nossa eu nunca tinha conseguido gozar com sexo oral, ele estava mais que excitado, tirou a camisinha e pediu que eu o lambesse, eu o lambi todo, e ele gozou mais uma vez, só que dessa vez nos meus seios que ele admirava tanto. Terminando essa loucura, corri para o banheiro, tomei um banho rápido e voltei para terminar a noite com meu namorado dorminhoco.

TROCA DE CASAIS - SWING

CLIQUE AQUI ou NA IMAGEM

E VEJAM 5 VIDEOS DE TROCA DE CASAIS

SWING - PUTARIA SEM LIMITES


PAGINA NOVA

http://bomdiasenhoritas.blogspot.com.br/p/troca-de-casais.html




terça-feira, 11 de novembro de 2014

UM AMOR ENTRE AMIGAS



Tudo começou numa viagem de trabalho, sou Morena clara, seios fartos, e um bum bum de dar inveja a qualquer mulher, eu iria conhecer minha parceira de viagem somente no hotel, era uma recém contratada da empresa, o cenário desse conto será na Costa do Saúipe, moramos no ceará o vôo era de manhã para que pudéssemos nos organizar e então dar um volta pra paquerar, sou solteira mas minha companheira é casada, morena clara tambem, olhos verdes, estatura mediana, seios pequenos seu álibi para chegar perto de mim foi o tamanho dos meus seios.

Mas vamos deixar as descrições, e vamos ao ápice do lance. Nos vimos no aeroporto e me deu uma coisa estranha ela me olhou dos pés a cabeça e veio se apresentando. -Olá, muito prazer, então... podemos marcar as cadeiras próximas? E conversamos sobre sua família a minha e chegamos a nosso destino, tinha um motorista para nos levar ao hotel, era uma feira de negócios e seria muito bom vendermos bem, então trocamos experiências, fomos ao hotel, porém ñ havia quartos separados então prontamente ela sugeriu que ficassemos juntas, eu topei ñ vi nada de mais, a ñ ser pelo fato dela me olhar muito. Ela me deixou a vontade para que eu pudesse tomar um banho, quando terminei, ela bateu na porta do quarto e então entrou para tomar banho e me disse que eu ñ precisava sair, se quisesse descansar ficasse a vontade, a tarde passou e quando dei por conta já era noite, fomos para o coquetel, vestidas para matar, eu em um longo negro e ela, ai ela! Estava num lindo longo vermelho de costas nuas, simplesmente a noite inteira fomos cantadas, mas ela sempre se mostrou fiel ao marido.  

Tomamos todas, rimos muito e resolvemos ir para o hotel. Eu já estava malzona, ela me ajudou a tomar banho e me vestiu e me colocou para dormir, fiquei espantada, ela era uma pessoa maravilhosa. Manhã seguinte, muito trabalho e fomos mesmo de ressaca vender os nossos aparelhos na feira, fechamos muitos negócios e ao fim da tarde, resolvemos sair para comemorar, fomos ao um barzinho animado dançamos, e conversamos e bebemos e depois fomos para o hotel, e foi ai que tudo aconteceu… 

Ao chegar ao quarto, tinha uma garrafa de vinho e duas taças... aproveitamos e abrimos para comemorar o dia de vendas. Tiramos os sapatos e cada uma se esparramou na sua cama, nossos olhares pareciam querer dizer algo, no meu caso eu nao sabia o que, porem me levantei e falei que iria tomar um belo e demorado banho na banheira,  ela perguntou se eu precisava de ajuda para o banho, falei que ñ, porém para ganharmos tempo se ela quisesse poderia vir, para minha surpresa ela topou, trouxemos o vinho e as taças.

            Entramos cada uma de uma lado, nossas pernas se tocaram, ficou realmente um clima meio diferente ate que ela fala pra mim depois de um gole de vinho -Seus seios são enormes, lindos, adoraria tocá-los, o meu maior desejo desde de que te vi era...saber como são…

Quase gozo ali, ela me fez sentir um prazer indescritível,fiquei meia timida e sai do banho, me sentia estranha, completamente excitada, meio confusa. Coloquei um vestidinho solto. Ela tambem saiu, colocou uma camisolinha transparente. Em dado momento no quarto, para quebrar o silencio, olhei fixamente para ela e disse:

-Por que vc ñ os toca, e descobre se sua imaginação esta certa?

E num momento de loucura coloquei as mãos pequenas dela nos meus seios, e num louco beijo nos deliciamos uma na saliva da outra e saímos nos despindo, e nos devorando a te ficamos em cima da cama, ela por cima de mim, me chupando os seios e a mão enfiada dentro da minha calcinha que já estava de lado, minha bucetinha depiladinha, estava completamente meladinha, louca de tesão por aquela completa desconhecida. Quando menos esperei sua língua havia percorrido meu corpo em busca do meu melzinho e num grito de prazer no momento que ela a encontrou, gozei. Ela me falou:

- Desde que te vi naquele aeroporto pensei encontrei a mulher dos meus sonhos, devo ser sincera, sou casada, mas tenho tesão por mulheres, e vc é a minha perdição, te desejo delicia, vc é a mulher mais deliciosa que ja vi, doce, me deixa louca. Aquela declaração me deixou louca de tesão novamente, ela falava com a boca enfiada na minha buceta e eu me deleitava com tamanha tara daquela mulher deliciosa. Quando ñ mais agüentava de tanto tesão gozei novamente, gritando o nome dela:

- Ai…… Leiticia, chupa,  a minha bucetinha, me faz sentir esse prazer antes proibido….

Nesse momento ela vem desesperada com a boca melada me beijar que sabor inigualável e assim me despertou o desejo de provar o dela tambem, e como uma loba havida de sede fui buscar na grutinha do prazer o sabor proibido:

- Deixa eu me deliciar , sentir seu cheiro provar seu sabor e te fazer gemer como uma pantera no cio?

Depois de horas fazendo amor e juras secretas, e declarações adormecemos, pela manhã acordei com um café de manhã delcioso, após o café caímos uma na boca da outra novamente. Só chegamos na feira a tarde, que ñ deixou de ser proveitosa, porém ficamos nos olhando o dia inteiro, a noite tinha um jantar oferecido para nós representantes, fomos lindas, e ficamos nos paquerando, e conversando e trocando bilhetinhos, ela é deliciosa, envolvente, levantou para ao toilet e me chamou para acompanha-la, comum pq somos mulheres, só que ñ fomos a banheiro coisa alguma fugimos para trás do restaurante, aonde podemos nos beijar, não é que a safada estava sem calcinha! E assim pude toca-la, que gozou, linda em minhas mãos. As pernas dela ficaram bambas, detalhe, ela adora aventuras! Quando retornamos a mesa, algumas pessoas nos olhavam com uma certa desconfiança, porem ñ tínhamos pudor, eu estava apaixonada pela deliciosa colega de quarto. Mais tarde nos despedimos, teríamos que retornar logo, o marido dela estava só ligando, e ela desligava para ñ me magoar, então eu falei:

- Atenda e fale para ele que vc terá que passar o fim de semana, para fazermos uns negócios num jantar no sábado à noite.

Ela me olhou e falou:

- vc me quer o fim de semana inteiro?

-Eu quero vc para a vida inteira.

Ela disse que seria impossivel. O certo é que foram deliciosas gozadas, os seus seios cabiam em minha boca, era a sensação mais deliciosa que vive em toda minha vida, nunca pensei que ficaria tão intima de uma mulher, ela é linda, deliciosa, geme gostoso, ñ tenho como descrever fazer amor com ela. Depois que voltamos, fiquei amiga do esposo dela, ele já é idoso, pouco faz sexo com ela, muito ocupado, compreensivo, acha que eu sou a melhor amiga dela, acredita que sou como uma irmã, as vezes fazemos amor no meio da tarde no apartamento que ela tem no litoral, fico contando os minutos para estar nos braços dela, ela as vezes chora pq me ama e deseja deixa-lo mas ñ consegue, por mim ñ tem problema mas ela é doente de ciúmes de mim, chora pq eu saio a noite, mas depois que a conheci ñ quero mais sair com homens, sou dela e de mais ninguém.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

MEU UNICO ERRO DE CASADA... SERÁ?

Meu nome é Nayara, tenho 30 anos, sou gaúcha, sou filha de pais alemães, loira natural, pele bem branquinha, seios grandes e rosados, pernas e bumbum grandes, tenho 1,80m, olhos azuis, cuido muito bem do meu corpo e já fui miss de minha cidade, sou muito paquerada onde vou, sou casada há três anos e sem filhos ainda. 

Eu e meu marido fazemos parte do CTG (Centro de tradições gaúchas) de nossa cidade, dançamos aquelas danças típicas e estávamos treinando para uma apresentação para um encontro regional que aconteceria em outra cidade, estava muito animada para ir, quase não viajamos. Estávamos dançando muito bem, mas faltando uma semana, meu marido quebrou o pé jogando bola e vi que não iríamos nem no encontro e nem dançar, fiquei muito chateada, mas não tinha o que fazer. Informamos a nossa desistência e no outro dia, um dos participantes, o Carlos, veio em nossa casa e perguntou se eu gostaria de participar do encontro, mas dançando com outro homem, chamava-se João, ele tinha se mudado para um cidade vizinha é um jogador de basquete e foi transferido para Sao Paulo, porem estava de volta a cidade natal pois estava de ferias e faz  parte do CTG há anos. Fiquei feliz com o convite mas não pude demonstrar, deu até um frio na barriga, mas deixei meu marido responder, ele me olhou e falou "por mim não tem problema, você pode ir, treinou bastante e seria uma pena não participar", na hora não aceitei, ainda mais indo sozinha para outra cidade, mas ele insistiu e o nosso amigo falou que ficaríamos todos em um mesmo hotel. Ele nos pediu também se eu poderia ir mais algumas vezes no CTG para treinar um pouco com ele, aceitei e combinamos o horário.


Chegando lá, estava o Carlos me esperando, disse que ele tinha ido ao banheiro e logo viria, quando vejo com quem iria dançar, quase caí de costas, era um  mulato, tinha quase 2 metros, um fisico muito forte, por volta de 30 anos e braços e pernas musculosos,  torneado,  bem forte, tinha o cabelo baixo e dentes super brancos, era muito bem cuidado, acho que não disfarcei o meu susto, ele me cumprimentou e disse que estava muito feliz de poder participar e falou que seria otimo esse encontro ja que nao participava deles há muito tempo e adorava as danças tradicionais. Quando fomos dançar, logo nos entrosamos, dançava muito bem, era muito simpático. Ele olhava rapidamente para meu corpo, estava com um vestido típico que mostra minha cintura fina e o volume dos meus seios. 


Durante a dança, tinha alguns contatos na área da cintura dele e um dos movimentos, senti o volume do seu pênis, tomei um enorme susto e isso aconteceu mais duas vezes, não tinha como evitar, disfarcei e mostrei naturalidade. Quando cheguei em casa, meu marido me perguntou como foi e como ele era, expliquei mais ou menos e falei que ocorreu tudo bem e que faria mais um ensaio antes da viagem. No outro ensaio, de forma "quase" inconsciente, me arrumei de forma melhor, passei um pouco mais de maquiagem, passei um perfume melhor, quando ele viu, me elogiou mas bem respeitosamente, ao dançarmos, ele estava mais a vontade e já me abraçava mais, isso fazia com que eu sentisse mais o seu pênis, parecia mais duro e cada vez ficava mais, terminando o ensaio, ele me agradeceu novamente e estava muito feliz, fazia tempo que ele não se sentia assim. Nos despedimos e dei um beijo no rosto dele e ele me deu outro, senti um arrepio por causa dos seus labios grossos.

No dia da viagem, preparei minha mala com as roupas e lingeries que havia comprado para usar com meu marido, fazia tempo que não viajávamos, tinha feito as unhas e cabelo, despedi do meu marido pois como estava engessado, prefiriu nao ir viajar. Iríamos de ônibus até lá, tivemos que sentar juntos, já todos eram casais, tivemos que agüentar, mas levamos numa boa. No caminho, conversamos bastante, tinha horas que o via olhando para os meus seios, minha camisa deixava transparecer o sutiã, estava com uma saia até o joelho e cruzei minhas pernas e ela levantou até quase a metade das coxas, ficar perto de outro homem, outro cheiro e ainda sendo cobiçada, me deixava excitada, mas me continha, lembrava dos tempos de solteira que pouco aproveitei, só ficava arrumando os cabelos, coisa que mulher faz quando está se mostrando, uma hora dei uma olhada na região do pênis dele, estava estufada, depois de um tempo ele até foi no banheiro do ônibus, acho que foi ajeitá-lo. 


Chegando no hotel, fomos para os quartos, estávamos no mesmo corredor, o meu quarto era de casal, só deixamos a mala e já fomos para a festa, antes fui ao banheiro, vi que minha calcinha estava molhada, coloquei a roupa típica, dei uma retocada no perfume e maquiagem e fui pra festa.

Na festa, tudo estava ótimo, tiramos fotos, dançamos e bebi vinho com a mulheres do grupo, alguns homens me paqueravam inclusive o sr. João, trocávamos alguns olhares, ele me com grande desejo, veio até mim e me chamou para dançar, já estava meio alcoolizada e aceitei, quando começamos, ele elogiou a minha beleza e que meu marido é um homem de sorte, durante a dança, ele encostou seu pênis em mim, estava muito duro, acho que quis ver minha reação, como não fiz nada, ele continuou e me apertava mais, falou que estava muito feliz de estar ali, ainda mais com um mulher tão bela, eu agradeci,  nisso ele passou o pau bem na região de minha vagina, cheguei a olhar diferente pra ele, acabou a música e falei que iria voltar para a mesa com a mulheres, ele agradeceu a dança e disse que gostaria de conversar comigo mais tarde, acabei fazendo um sim com a cabeça, mas sem entender muito o que ele queria.


No final da festa, estávamos indo para o hotel e ele se sentou ao meu lado no ônibus, fomos conversando normalmente, ele estava bem animado, eu estava um pouco alcoolizada, chegando no hotel, todos foram para seus quartos, o João foi no bar do hotel, eu fui para o meu quarto e logo ouvi bater na porta, ao atender era ele, todo sorridente, com uma garrafa de vinho na mão e perguntou se eu o acompanharia, falei que não e que já tinha tomado muito, ele ficou bem triste na hora, me deu um aperto no coração e falei que tomaria, mas só uma tacinha, ele voltou a se animar, ele se sentou na mesa, colocou o vinho na taça e encheu bastante, começamos a conversar e ele me contava as histórias engraçadas, quando estava no final da garrafa, ele tomou toda a taça dele e veio em minha direção, eu estava sentada na beira da cama, sentou-se ao meu lado, pegou a taça da minha mão, no fundo sabia o que iria acontecer, mas sob efeito do álcool, deixei rolar, ele pegou na minha mão, olhei para o seu pau e estava duro, ele viu que olhei, sem soltar minha mão, ele foi com a outra mão atrás do meu pescoço e viu que não reagi, estava dura de tanto nervoso, me puxou e me beijou na boca, correspondi e dei dois beijos com língua, mas desviei e falei " João, nãooo, sou casada", ele começou a chupar e lamber meu pescoço e seus labios, me dava arrepios. 


Ele pegou minha mão e levou até seu pau e falou no meu ouvido "olha como você me deixou, não vou contar pra ninguém, me faz um carinho, você é linda demais", ele abriu o zíper e soltou a calça e puxou o pau pra fora, pegou minha mão e fez segurar, gelei na hora. Ele pegou meu pescoço e falou "olha como meu pau está, faz um carinho nele", ele voltou a chupar meu pescoço agora com mais força, eu olhava o pau dele, era bem grande, era quase o dobro do meu marido, ele puxou meu queixo para beijá-lo, nos beijamos agora com mais gosto, ele tirou a mão do pescoço e pegou no meu seio esquerdo e falei "isso não", ele não soltou e falou "mostra os seios pra mim, você me viu olhando pra eles o dia inteiro, eles devem ser lindos, mostra vai", ele foi com a mão e desabotoou um botão da minha camisa, eu soltei seu pau e com as duas mãos comecei a abrir minha camisa, ele começou a se masturbar e me olhar me despindo, ele estava babando de tesão, abri toda camisa e fui com as mãos nas costas e soltei o sutiã, ele estava tremendo de ansiedade, quando os mostrei, nem meu marido tinha ficado tão excitado de ver meus seios na primeira vez, ele me abraçou e caiu de boca nos meus seios, ele alternava entre os meus seios, chupava com vontade, seus labios me excitava mais ainda, ele pegou minha mão e colocou no seu pau novamente me fazendo masturbá-lo, sabia que era errado o que estava fazendo, mas vendo aquele baita negão sugando com vontade meus seios e aquele pau enorme na mão, era tesão demais. 

Ele tirou toda sua camisa e tirou a minha também, agora ele se ajoelhou na minha frente e voltou a sugar meus seios e também a me beijar, falava no meu ouvido "gostosa, você é minha agora", depois de um tempo assim, ele foi com as mãos por debaixo da minha saia, levantando meu vestido e alisando minhas coxas, nem tinha como impeli-lo, ele falou no meu ouvido "deixa eu dar uns beijos aqui?", e pôs na mão na minha vagina por cima da calcinha, dei uma gemidinha, ele abriu minhas pernas, eu deitei na cama, puxou minha calcinha de lado e enfiou sua língua com tudo dentro de mim, gemi na hora, tentava não gemer alto para que ninguém me ouvisse no hotel, mas a chupada dele era ótima, nunca tinha sido chupada assim, ele parou e falou de um jeito autoritário "quero ver você tirar a calcinha e a saia também" ainda deitada, levantei minhas pernas e retirei a calcinha e depois a saia, ele falou "gostosa, agora abre as pernas para a chupada", ele voltou a me chupar agora com mais vontade, nesse meio tempo acontece algo inesperado, o meu celular toca, gelei na hora, falei para o João parar, me viro na cama e me estico para pegar o celular que estava no criado mudo, vejo que é meu marido e falo para o  João ficar quieto.

 Ele faz um sim com a cabeça e olha pra minha bunda, devo ter ficado com as pernas meio abertas e de bunda pra cima, fica minha bucetinha a mostra, antes de atender o telefone, o  João se deita em cima de mim e coloca seu pau na entrada da minha bucetinha e me segura e fala no meu ouvido, "abri as pernas e deixa eu enfiar, vai falar com o maridinho com minha pica dentro de você", eu abri um pouco e senti ele esfregando na portinha, ele mandou arrumar meu cabelo pro lado e liberei meu pescoço, ele deitou sobre mim, agarrou meus seios e falou no meu ouvido "agora atende o maridinho", atendi tentando segurar os gemidos, falei que estava dormindo, meu marido se desculpou e disse que estava com saudade e queria conversar um pouco, disse que não tinha problema, mas mal sabia ele que estava sendo quase comida por um negão desconhecido. 

João esfregava e gemia baixinho meu ouvido, ele mordia e lambia minha nuca, estava morrendo de vontade de gemer e de ser penetrada, meu marido contando como foi o seu dia e eu tentando prestar atenção, uma hora ele perguntou que barulho era aquele, falei que era a televisão, mas tinha sido uma chupada que o  João tinha dado no meu pescoço, quando eu tinha que falar, falava pausadamente para não gemer, até que na hora de me despedir, o  João fala no meu ouvido "fala pra ele que está com saudade dele que eu vou te penetrar ", fiz um não com a cabeça e ele falou "fala gostosa, me deixa penetrar em você enquanto fala com o ele", não sei o que me deu na hora e falei "amor, estou morrendo de saudade", nesta hora senti o  João me agarrando mais forte e sinto aquela cabeça grossa me invadindo, ele geme baixo, eu escutando meu marido falar que sente muita saudade minha, coloco a mão na boca pra não escapar um gemido, o pau do  João estava na porta da minha bucetinha, e foi me invadindo, desliguei logo o telefone me desvencilhei de seu pau e olhei para  João que  gemia e falei "o que voce fez?, que loucura."

 Ele pegou meu rosto e me beijou na boca e falou "você gostou, não foi? , ficou ainda me beijando e alisando meus seios , ele saiu de cima de mim, ele deitou ao meu lado e ficou me observando, falei pra ele ir embora, me bateu um arrependimento enorme, e devido ao meu nevorsismo ele se levantou e se vestiu rápido e falou "quero meu beijo de boa noite", veio até mim e dei-lhe um beijo na boca, falou no meu ouvido que nao queria ir embora, fui me vestindo, meio transtornada e ele se virou e saiu do quarto. Passei a mão na minha bucetinha e estava enxarcada, comecei a passar a mão na minha bucetinha melada e deu vontade de me masturbar, lembrando o que tinha feito, me masturbei com gosto, passava a mão nos meus seios e sentia a baba do  João, olhava pra eles e estavam vermelhos de chupada, logo atingi o orgasmo, minha mão ficou molhada , me levantei e fui no banheiro, no banheiro me vi pelo espelho, estava mesmo com o pescoço vermelho e os seios também,  imaginei tirando um selfie e mandando a foto pro meu marido e dizendo "estou morrendo de saudade", ri sozinha, me limpei e e fui dormir.

No outro dia, iríamos para a festa as 10:00hs, lá pelas oito, ele me ligou no quarto e falou "bom dia , deixa a porta aberta e vai tomar um banho que eu estou indo aí", desligou o telefone, pensei, já estou na lama, abri a porta e fui tomar banho. Na verdade fiquei arrependida de estar naquele momento com ele e traindo meu marido, mas tambem fiquei com uma curiosidade enorme daquele mastro negro, nao sei se teria outra chance na vida e prometi pra mim que seria uma unica vez. Escutei ele entrando e trancando a porta, fui só de hobby, quando cheguei no quarto, ele estava em pé ao lado da cama com seus dois metros de altura, me olhou com muito desejo e me pediu desculpas da noite anterior. Eu estava com muito tesao daquele homem.
Perguntei a ele que se acaso acontecece alguma coisa ele iria falar para alguem? Ele disse que jamais contaria para alguem. Pedi desculpas do jeito que mandei ele embora e ele falou que quem devia desculpas era ele. e perguntou se eu  o desculpava?

So encontrei uma resposta para sua pergunta, que foi, afrouxar o laço do meu hobby e deixa-lo escorrer pelo meu corpo e ficar completamente nua na sua frente. Ele se aproximou de mim, eu vi aquele homem enorme me agarrando, a diferença de estrutura era enorme, me abraçou e me beijou como se fosse o ultimo beijo do mundo. Ele se sentou na beirada da cama e me puxou, chupou meus seios, aí foi descendo e beijando minha barriga e foi até minha bucetinha, me chupou em pé, quase caía de tanto tesão, ele parou de me chupar e puxou minha cabeça para beijá-lo, senti o gosto da minha vagina, falou no meu ouvido "ajoelha e me chupa", fiz pouca chupeta na vida, mas ali naquela situação, me ajoelhei, arrumei meus cabelos, ele tirou o ja duro pra fora da calça e segurei seu pau e comecei a chupar a cabeça, o pau era enorme, parecia maior que ontem, eu segurava com as duas maos, colocava na minha boca, esfregava no meu rosto, ele parecia cada vez mais duro e mais grosso. Chupei toda a extensao e fui ate suas bolas, ele gemia e elogiava,  mandou e o chupasse mais.

Foi quando ele se levantou me colocou deitada na cama e começou a chupar minha bucetinha, sua lingua era quente, deliciosa, sentia seus labios se mexendo como se fosse me engulir. Desceu mais um pouco e chupou meu anus, depois subiu novamente e enquanto me chupava colocou um dedo dentro da minha bucetinha... ui...ai... que delicia! E entao se levantou, chupou minha barriga e seios me beijou na boca e senti seu pau bem na portinha. Me ajeitei um pouco e senti ele me penetrando, melhor, me rasgando... eu sentia cada centimetro que ele me invadia, começou lento, comecei a gemer, entao ele apoiou as duas maos ao lado do meu corpo e começou a me penetrar com vontade. Eu comecei a olhar aquele animal gigante, cheio de musculos, me penetrando, estava maravilhosa a sensaçao. Ele ia cada vez mais forte, eu nao conseguia nem me mexer de tanta pressao e devido ao preenchimento total da minha vagina, mais os movimentos e a visao daquele homem comecei a gozar, me contorcendo e me arrepiando toda. Ele tambem estava com tesao, pois nao parava de elogiar minha beleza e quando percebeu que eu gozei, tirou aquela tora enorme e começou a bater uma  punheta, a visao que eu tinha daquele monumento na minha frente, cheio de musculos com um pau descomunal batendo uma punheta na minha frente foi maravilhosa, ate que ele começa a gozar encima de mim e logo depois cai ao meu lado.

Peguei o hobby do hotel e limpei todo seu esperma que estava sobre meu corpo e me deito no seu peito. Ficamos ali quietos nos recuperando daquele transa gostosa. Fico observando seus musculos na barriga e começo alisa-los e beija-los... logo percebo aquela tora ficando dura de novo e começo a chupa-la. Ainda tinha gozo no pau e eu que sempre fui nojentinha com isso, nao senti naquele momento qualquer asco. Aquele pau enorme ficou duro novamente com o meu boquete ele entao se levanta me posiciona de quatro e começa a querer me penetrar, eu ja estava novamente com muito tesao e me empino toda para ele. Ele beija minha bunda inteira, a segura com as duas maos e vai enfiando aquele tora pra dentro nao consigo aguentar a pressao, entao coloco minha cabeça na cama, deixo meu bumbum empinado pra ele e ele nao perdoa enfia com vontade e começa um vai e vem alucinante. Eu estou completamente fora de controle. Sinto que ele abre o maximo meu bumbum e cospe nele, sua saliva vai escorrendo e entra no meu cuzinho dando um sensaçao indescritivel. Entao ele abrindo meu bumbum e penetrando na minha bucetinha enfia o dedao no meu cuzinho...

Ele nao deu mais que cinco estocadas e eu gozei como nunca... Estava com medo dele gozar dentro de mim entao fiz uma coisa que nunca tinha feito. Me agarrei ao seu pau e comecei chupa-lo ele me avisou que ia gozar... eu nao parei de chupa-lo... apertava seu bumbum e entao ele gozou fartamente na minha boca, deixei seu gozo escorrer pelos labios e esfregava aquele pau negro no meu rosto... Quando acabou me levantei e fui tomar outro banho. Antes de me fechar no banheiro, voltei e pedi a ele para ir embora. Disse que ele era inesquecivel mas essa seria a unica vez. Ele fez uma cara de cachorro pidao. Voltei la lhe dei um beijo e pedi para ele entender. Entrei no banheiro e fechei a porta. Quando sai ele nao estava mais lá olhei todo aquele esperma nos lençois, me sentei e nao acreditei no que tinha feito

A volta para casa no onibus, fingimos que nao tinha acontecido nada sentamos lado a lado mas devidas as outras pessoas que estavam por perto conversando nao pudemos nem nos olhar direito.
Cheguei em casa meu marido estava lá com a perna para cima reclamando de dores e perguntou como tinha sido, lhe contei tudo sobre a dança e sobre a festa, mas nada sobre esse fato. A noite meu marido me pediu pelo menos uma chupada e ainda se atreveu a perguntar se eu deixava ele gozar na minha boca. Eu disse que nao, mas quem sabe outro dia eu deixe. Ele ficou bem feliz.


Paulista