quarta-feira, 8 de abril de 2015

CARNAVAL NA AVENIDA

Vou contar o que aconteceu comigo no carnaval, mas primeiro, vou descrever sobre me relacionamento com meu marido. Somos um casal curioso nesse meio liberal. Apenas curiosos. Adoramos fantasiar sobre menages e troca de casais. Essas brincadeira já nos deu noites maravilhosas de tesão. Contos, vídeos, blogs. Nos excitamos muito e junto dos nossos brinquedos vamos a lugares na imaginação que nos levam a loucura enquanto transamos. Na grande maioria das vezes sempre preparamos uma fantasia para alimentar nosso encontro amoroso.


Vamos ao conto, que esse sim foi o ponto maior que já chegamos e resolvemos compartilhar com vocês do bomdiasenhoritas. Sou destaque em escola de samba aqui de São Paulo há dois anos, a minha posição no carro é destaque central na parte superior. O carro deste ano parecia um bolo em camadas e eu no topo, abaixo 2 camadas com 25 homens apenas de sungas vermelhas. A distância eram de um metro de onde eu estava para a primeira camada, com uns 10 homens, os outros na mais abaixo. A minha fantasia era de renda, detalhes de pedraria, muito chique porém mega curta e pequena. Claro que já devem imaginar que a bunda estava mais da metade de fora, para isso precisei até me depilar nas laterais e usar uma calcinha nova, pois o meu marido já  sabia que os homens que ficariam na camada estariam vendo absolutamente tudo.

Quando subi no carro fiquei sem graça, pois todos começaram a me olhar, alguns elogiavam educadamente e outros me chamavam de gostosa, dizerem que eram sortudos por estarem lá etc. O meu marido filmou parte disso e fotografou e lembrei pois ontem a noite estávamos assistindo isso novamente. O tempo todo ele ficou ao lado do carro para ver o desfile e acompanhar de perto. Alguns dos homens ali perceberam que eramos um casal e mantiveram o controle, se concentrando no desfile. Agora outros não perceberam ele ali embaixo, não pelo menos, como meu marido. Porém, no final do desfile, depois que o carro passou o portão final, como o carro ficava meio que no inicio do desfile, continuávamos a animação, sambando e cantando o samba enredo. Nisso me pedem para descer. Neste momento perdi um pouco meu marido da vista, pois todos que estavam no carro ficaram ao lado da saída dele dançando, foi quando pedi ajuda para descer para o pessoal do staff.

Eles imediatamente pediram para os homens que estavam no andar de baixo me ajudarem. A alegria era contagiante e do nada senti uma mão encostar na minha bunda, era um deles me tocando. Fiquei com uma mistura de surpresa, raiva, brava, mas muito, muito mesmo excitada pela surpresa, perigo e sacanagem. Continuei dançando normalmente, mas claro, procurei meu marido com o olhar e o encontrei me olhando e sorrindo. O safado sabia o que eu estava passando  e pelo jeito estava gostando, pois não parava de filmar. Em alguns minutos já eram mais de 5 mãos, ou seja, tinham 3 homens me alisando, bolinando, fiquei doida de tesão nesse momento. Um deles, preciso admitir, falei isso ao meu marido, era super gostoso. Ele só de sunga e depois de me tocar e me encoxar ficou com um volume enorme.... Esse era um que eu aceitaria na hora transar, fiquei excitada com os toques dele. Mas continuando, dos 3, apesar de eu ter gostado mais de um, o outro é que era mais safadinho e acreditem, tentou inúmeras vezes enfiar um dedo dentro do meu cuzinho empurrando o biquíni para o lado, não conseguiu, mas na buceta ele conseguiu colocar um pouquinho...O safado pegava na minha mao e levava ate seu pau duro, eu fingia não perceber, ou não ligar, mas por dentro morria de tesão. A cada esbarrada em seu pau mais eu me excitava e do nada dei uma apertadinha pra sentir rsrsrsrs.

Logo senti uma encoxada gostosa, não olhei para trás, novamente fingi não sentir mas um pau daquele não dava para passar despercebido.  Nunca senti tanto tesão no carnaval como esse dia e nunca havia sido tocada por outro homem de maneira explícita assim. Claro que na mesma hora  vieram as minhas fantasia de menage masculino....Principalmente a deu eu dar de quatro para um desconhecido, enquanto chupo meu marido, para ele ver toda a minha satisfação. Pra ser sincera essa é a minha maior fantasia.

 Logo me encontrei com o meu marido e dali fomos direto para o carro, comentando sobre o desfile, como a escola estava bonita, essas coisas. Quando chegamos no carro retirei todo o excesso da fantasia e praticamente estava de biquini com a minha bunda toda exposta e dessa maneira voltamos para casa. Foi quando meu marido me perguntou o que houve quando eu desci. Eu o expliquei tim tim por tim tim. Todos os detalhes, as mãos, os paus, o toque na minha bucetinha. Ele ficou excitadissimo e mandou eu segurar no seu pau. Eu não pensei duas vezes e tirei aquele pau para fora e fiquei o alisando bem gostoso.

Chegamos em casa nem deu tempo de um banho, meu marido pediu para eu falar de novo tudo que ocorreu, me colocou no sofá e ia me chupando enquanto eu contava novamente tudo. Ele falou que não aguentava mais e que queria gozar,  mas antes foi ate o quarto pegou um dos nossos brinquedos e pediu para eu me masturbar enquanto o chupava. Peguei o brinquedo vibrador e fui me introduzindo fantasiando que era um dos garotões enquanto eu chupava meu marido. Não demorou muito e gozamos intensamente, imaginando um menage, o deixei gozar na minha boca e dali fomos para o banho. Ainda transamos antes de dormir. E nossas brincadeiras estão cada dia melhores.



Espero que tenham gostado e claro voltarei mais vezes. Queria comentários de vocês sobre isso. Afinal,  é real  mesmo.....

LEITORAS DO BDS











                                                   NARRANDO PARA O NAMORADO




                                                   ESPERANDO O MARIDO CHEGAR



                                                       NAQUELE MOMENTO QUENTE



                                                 SE DELICIANDO COM OS CONTOS
                                             


                                                        NO MEIO DO TRABALHO

UMA FODA RAPIDA NO ESCRITORIO

Meu nome é Hanna Kim, tenho 25 anos e sou uma morena bem gostosa...Pretensão? Não! Todos os homens sentem uma sede enorme por mim...Tenho 1,75,seios fartos e empinados,uma bunda bem avantajada,empinada e durinha e adoro foder e ser fodida ! Parece que quando ando os homens sentem o cheiro de sexo...Hum... Acabei de ter uma foda deliciosa...Como há muito eu vinha imaginando! Trabalho em um órgão público apenas um expediente pela manhã ou a tarde e é sempre muito tedioso.

Hoje resolvi vir de manhã, pois fico sozinha na sala e como de costume comecei a navegar pela net e ver algumas imagens de homens bem dotados! Isso mesmo: aqueles do pau tão grande que só de olhar a buceta já fica latejando !Comecei a imaginar cada cacete daquele me fodendo naquele exato momento de tédio...Pensei no meu delicioso namorado: O Pedro! Além dos laços afetivos que nos unem, o sexo é o nosso principal atrativo. A gente sempre trepa bem gostoso e futuramente irei relatar algumas de nossas fodas com direito a brinquedinhos e tudo! Bem... Hoje ele pareceu adivinhar...Bem no meio dos meus pensamentos picantes o celular tocou, era ele perguntando onde eu estava...Respondi que no trabalho, sozinha e latejando de tesão...Ele se ofereceu para vim me dar um beijo e aceitei. Só de ficar imaginando a putaria que faríamos aqui eu já não estava agüentando e resolvi me masturbar um pouquinho...Tranquei a porta com a chave, tirei a roupa e fiquei só de calcinha esfregando meu grelo e esperando pelo Pedro que tem o pau mais lindo e tesudo que já experimentei. Ele fode como ninguém!

Quando bateram à porta, me certifiquei que fosse ele e com a confirmação logo abri...Já estava quase gozando de tanto mexer no meu grelinho que estava umidecido com vontade de ser acariciado pela cabeça de um pau bem gostoso: o pau do Pedro! Quando ele entrou fui logo trancando a porta e beijando ele passando a língua pelos lábios e mordendo o queixo dele que por sinal o excita muito...Não demorou pra eu perceber o tamanho do volume entre suas pernas, pulsando com vontade de pular pra fora. Tirei toda a roupa dele...Deixei peladinho como eu adoro com aquele pauzão lindo, cabeça rosinha, parecendo um cogumelo e pedindo pra ser chupado. Abaixei e enfiei ele todinho na boca enquanto ele segurava minha cabeça e empurrava mais ainda o membro duro quase extrapolando em minha garganta.Ouvir os gemidos dele só aumentavam mais ainda o meu prazer...Desci e chupei seus colhões...Como ele gosta...Colocando uma bola por vez na boca e sugando bem devagar...Passeando a língua pelo ânus fazendo ele arrepiar! 

Subi e dei mais um beijo gostoso enquanto ele esfregava meus mamilos com a ponta dos dedos.Quando já estavam bem duros ele desceu e colocou um dos seios na boca e chupou com força passando de um seio a outro sempre sôfrego como se fosse a primeira vez que colocava um belo par de seios na boca. Sentou-me em uma das poltronas da sala, afastou minhas pernas e passou a língua molhada e ávida pra sentir meu gosto por toda a minha buceta encharcada, dando leves mordiscadas em meu clitóris .Nessa hora fui á loucura e não pude conter o gozo com gemidos que o deixaram ainda mais louco de tesão. Pedi pra que ficasse esfregando a cabecinha do pau dele em minha xana ainda molhada pra que eu pudesse gozar mais uma vez e ele obedeceu...Aí foi a hora dele assumir o controle da situação e pedir pra eu ficar de quatro e empinar meu rabo todinho pra ele que ele queria mesmo era me dar umas boas estocadas e gozar tudo dentro da minha boceta

.Obedeci prontamente e pude sentir o pau dele entrando com força e latejando dentro da minha xota...Apertando o cacete dele e deixando ele tonto de tanto prazer...Pedi pra que me comesse puxando meus cabelos, pois queria que naquele momento ele me comesse como se estivesse comendo uma puta safada, mas que não queria que gozasse ainda, pois ainda tinha meu rabinho pra ele foder e gozar dentro. Depois de me foder bastante de quatro, Pedro pediu que eu sentasse em cima do cacete dele de cócoras enquanto ele estava deitado no carpete de minha sala. 

Comecei a cavalgar em cima do cacete dele e senti que ele já não estava mais agüentando de tanto prazer e pedi a ele que comesse o meu cu naquele instante .Ele me virou de quatro, deu uma cuspida no meu rabo e meteu com força segurando pelos meus cabelos que gritei num misto de dor e tesão...Fiquei mais louca ainda quando ele começou a meter no cu e na boceta repetidamente e quando ele já estava prestes a gozar e eu também, deu uma estocada bem forte no meu rabo e pude sentir o pau dele pulsando e jorrando aquela porra toda dentro do meu buraquinho quente e apertado enquanto minha buceta latejava do orgasmo que acabara de sentir...Nos beijamos e nos vestimos e combinamos passear no fim de semana em uma praia paradisíaca que tem uma única pousada cheia de hóspedes loucos pelas belezas naturais e dispostos a uma boa aventura... Mas essa fica para outra história!

Autora - Morena Tsunamy

segunda-feira, 23 de março de 2015

PRIMEIRA VEZ QUE EU CONHECI UM CORNO

Sou um divorciado, tenho 38 anos, cabelos iniciando a ficar grisalhos, corpo atlético normal, tenho meus casos apos o casamento e esperava por um novo amor para voltar a minha rotina normal que foi quebrada apos a separação. Como vivo só e não trabalho aos sábados geralmente no horário do almoço vou almoçar em um super mercado próximo da minha casa. Foi num desses dias que eu tive uma das mais impressionante historias da minha vida.

Estava eu no restaurante desse super mercado almoçando tranquilamente quando um casal perguntou se poderia se sentar na minha mesa. Uma ação de costume nestes tipo de restaurantes. Consenti, claro. Na verdade nem prestei atenção no casal pois me mantive atento ao prato e a minha solidão. Na verdade ver um casal compartilhando seus momentos me deixava pra baixo, portanto, preferi, nem olhar em sua direção.

Num momento de distração deixei meu copo de refrigerante cair na minha bandeja. O Sr. ao meu lado se prontificou com o guardanapo, foi muito atencioso, agradeci e este foi o primeiro momento que eu o olhei, claro, foi agradecer pela gentileza. Tentando diminuir o impacto da distração expliquei que ainda bem que não havia pego um vinho para acompanhar, já que o menu do dia era um bacalhau. O homem muito educado e puxando conversa perguntou se eu era um apreciador de vinho. Disse que gostava mas não conhecia profundamente, apenas tinha um gosto peculiar por vinhos tintos e seco. Ele perguntou qual marca eu gostava mais. Nesse momento foi quando eu olhei para sua mulher, discretamente apenas para um cumprimento e lhe disse as minha preferidas ele logo falou que era um somelier e me perguntou apenas para uma pesquisa constante que faz para entender os gostos das pessoas.

Sei que dai saiu uma conversa bem agradável e amigável entre nos. Sua esposa uma loira de mais ou menos uns 40 e poucos anos ele também por essa idade, foram muito simpáticos, emfim mesmo depois do termino do prato continuamos a conversar. Ate que para dar um fim no papo eu falei que iria ate comprar umas duas garrafas de vinho para beber pois tinha dado vontade depois de tantas boas explicações e dicas que ele me deu. Ele falou que ali no super mercado tinha uma variedade boa e perguntou para a mulher se ela estava com tempo de ir ate o deparamento de vinhos do mercado para ele me assessorar. Agradeci ela também o apoiou e descemos.

Neste momento foi a primeira vez que olhei para sua esposa. Ela uma loira com um vestido ate os joelhos, tinha um decote discreto mas que por causa do volume dava para se perceber que tinha enormes seios. Sua bunda também era bem avantajada pois dava para ver seu desenho no vestido. Mas tudo estava bem discreto, ela não se insinuava, e também não estava vestida diferente de quase todas as senhoras que estava no super mercado.

Ele me indicou duas marcas e eu ate mesmo para agradecer seu empenho comprei duas garrafas de cada marca que ele me falou. Ele pegou mais duas pra ele só que eram um pouco mais caros do que os meus e fomos para o caixa. Na saída do super mercado quando fui me despedir ele perguntou se eu não gostaria de experimentar o vinho que ele havia comprado, fiquei meio sem jeito, ele percebeu e me mostrou onde eles moravam. O prédio ficava quase enfrente ao mercado, me passou o numero do apto e falou para eu aparecer na casa deles por volta das 19 horas. fui para a minha casa e as 19 horas eu rumei para o apartamento dos novos amigos.

Chegando la. Eles me receberam muito bem, havia uma mesa com alguns queijos e logo ele serviu o vinho e continuamos a ter um bom papo, falei sobre minha separação traumática a Dna Lilian muito atenciosa sempre também ouviu minha historia, depois mudamos de assunto, mas sempre bem descontraído. Num certo momento eu sinto alguem tocar com os pés a minha perna. Não achei estranho achei ate que foi sem querer, mas logo depois outra vez. Eu sabia que era ela, trouxe minhas pernas para trás e continuamos a conversar como se nada tivesse acontecido. Já estávamos na metade da segunda garrafa, um pouco animados. Então Dna Lilian se levanta, pede licença e vai em direção ao quarto falando que ia tomar um banho.

Fiquei meio desconcertado, falei que já estava na hora de ir, que foi um prazer te-los conhecido. Mas fui surpreendido pela pergunta do anfitrião: - O que você achou da minha mulher? Respondi no plural falando que foi muito legal te-los conhecido, que poderíamos marcar outras vezes. Ele também falou que gostaram muito de mim. Pensei comigo preciso sair daqui logo e fui me levantando, afinal não queria arrumar problemas. Eu já estava há muito tempo sem uma relação, minha separação, como disse antes, foi muito traumatizada.

Me levantei e então ele falou que precisava me mostrar uma coisa, e me chamou para ir no corredor do apartamento, fui o seguindo quase que sem pensar em nada, sobre sexo, sinceramente, eu não pensei. Fomos andando ele na frente e eu atrás ate que vejo uma porta entre aberta e ele aponta pra mim e diz:

- O que você acha? Coloquei a cabeça para ver o que era. Era seu quarto e a visão em linha reta transpassava sua cama e ia direto para o banheiro que estava com a porta aberta e dentro sua mulher tomando banho. Sua nudez era espetacular. Ela não nos via pois estava de costa, havia uma marca de bikini bem safada em sua bunda e realmente seus seios eram grandes e maravilhosos. Ele insistiu na pergunta sobre o que eu achava. Eu o olhei e perguntei diretamente: - Vocês são liberais?

Ele ficou meio desconcertado, abaixou a cabeça brevemente mas logo me encarou e disse que sim. Dei um passo para trás sai do campo de visão da esposa, caso ela se virasse, olhei pra ele e disse: - Ela e muito gostosa, maravilhosa, você e um cara de sorte. Ele me disse que ela também havia gostado de mim. Como se eu não soubesse, afinal as passadas de pés por baixo da mesa não saia da minha cabeça. E ali no corredor eu tive que avisa-lo: - Cara eu não curto homens. Ele foi mais rápido e disse que ele também, mas ele gostava de ver a mulher dele com outro. Aquilo para mim era algo improvável, já havia lido sobre isso, mas achava ficção. Principalmente eu que havia saído de um relacionamento por falta da minha confiança, e da provável traição da minha ex. Não entendia aquela posição do marido, mas meu pau duro de ter visto aquela mulher ali, desfazia todo o meu pensamento ideológico.

Toda essa confusão me fez remeter para a adolescencia quando ouvi o chuveiro ser desligado, fiquei em estado de alerta, tesão e expectativa. E sem saber o que fazer perguntei a ele: - E agora? Ele sinalizou para eu voltar para a sala e deu três batidinhas na porta que estava aberta e perguntou para a mulher: - Querida, você aceita mais uma taça de vinho? Ela disse que seria ótimo. Então voltamos ate a sala, ele encheu uma taça ate a metade e pediu para eu levar a ela. Peguei minha taça dei um breve gole, peguei a taça que ele me deu e fui em direção ao quarto. Repeti o que ele fez, dei três batidinhas na porta aberta e pedi licença. Ela já estava com uma camisola solta bem curta, seus seios pareciam duros, não sabia se ela estava de calcinha ou não, ela sorriu quando me viu e agradeceu a gentileza.


Quando eu entreguei a taça, esperei que ela bebesse um gole e logo depois lhe dei um beijo na boca. Minha excitação era enorme, meu pau estava duríssimo e tocar uma mulher belíssima como aquela, sentir seu beijo, o aroma pós banho, os cabelos molhados me fizeram esquecer de tudo. Inclusive que da porta seu marido nos observava, degustando um vinho. Tentei não ser apressado e logo que nos desvincilhamos do beijo sorrimos um para o outro. Ela deu mais um gole de vinho e colocou a taça sobre uma mesa de canto, eu nem gole dei já coloquei a minha ali também. Ela então me pede para eu me sentar na cama, e e o que eu faço. Ela olha para seu marido, depois para mim, bate nas alças de sua camisola e a deixa escorrer pelo corpo. Primeiro salta seus seios, depois escorre pelos seus quadris. E revela uma bucetinha linda, bem aparada, com poucos pelos e a marca do bikini.

Ela me deita na cama, monta sobre mim, eu seguro em seu quadril nu, ela então começa a abrir os botoes da minha camisa e a beijar meu peito. Abre botão por botão a retira, joga no chão e agora vai para os botoes da minha calça jeans. Abre um, dois e depois abre todos com um puxão. Meu pau aparece duríssimo dentro da cueca. Ela então retira toda a calça, me da uma olhada bem safada, se levanta um pouco, olha para o seu marido, pega sua taça, bebe mais um gole. Depois volta para a minha frente e tira minha cueca de uma vez só. Ela se depara com meu pau duríssimo, o pega, o massageia uma vez e cai com sua boca, me chupando. Eu acho que minha antiga esposa nunca tinha chupado com aquela intensidade. Ela fazia vários movimentos com a língua, a sensação era ótima. A maneira como ela chupa toda a extensão depois abocanha a cabeça, sempre punhetando lentamente.

Ela me pede para me acomodar melhor na cama e então assim ela consegue ficar de quatro na cama enquanto me chupa. Eu estava meio em transe e só fui perceber que seu marido agora a chupava, pois ela gemeu enquanto me chupava. Ele estava com a cabeça enfincada em sua bunda. Não saberia dizer se chupava sua buceta ou seu cuzinho, só percebia que ela estava gostando muito. Ela veio subindo meu corpo me beijando ate chegar na minha boca então foi posicionando meu pau na sua bucetinha. Eu fiquei meio decepcionado pois também queria chupara aquela buceta, mas lembrei que o marido já tinha chupado e preferi não pedir, enquanto tava nesse dilema sinto aquela xana quente escorregando pelo meu pau e me esqueço de tudo. ela começa a cavalgar lentamente e cai sobre mim com seus seios enormes no meu rosto.

Começo a chupar aqueles seios, enquanto ela me domina por inteiro, sua cavalgada fica mais intensa, seus gemidos mais ofegantes. Seguro em seu quadril e na sua bunda. Vou abrindo cada vez mais para que meu pau vá mais ate o fundo, começo a ajudar na bombaçao. O barulho de carne batendo e excitante, eu aperto aquelas ancas, mamo aqueles seios. Seus cabelos molhados respigavam no meu rosto. Seu marido começou a perguntar se ela estava gostando? Ela dizia que sim. Ele estava ao nosso lado e então ela segurou o seu pau enquanto pulava sobre mim. Sinceramente, essa era uma visão nova para mim. Mas aqueles olhos verdes dela quando me fitavam, me fazia esquecer tudo. Seus movimentos ficavam mais intensos, não saberia dizer se estava prestes a gozar ou se ela era escandalosa assim, minha ex era tao recatada. Tentei me manter tranquilo, ereto, apertava seus seios, mas aquele outro pau ali, me incomodava um pouco. Outra pessoa apreciando e participando era excitante, desafiador e inibidor ao mesmo tempo.Eu tentava me controlar e não pensar nos costumes familiares que eu aprendi.



Enquanto estava neste meu dilema, não observei que ela já estava chupando o pau dele enquanto cavalgava no meu pau, fiquei ali quase que como um boneco, estava cada vez mais excitado e comecei a me controlar para não gozar. Os sons, os gemidos, o suor tudo misturado. Aquela mulher exuberante pulando sobre mim. Eu estava completamente envolvido e sem querer soltei a palavra puta pra ela. Ela nem parece ter ouvido mas ele sim. E respondeu: - E uma puta mesmo...uma gostosa...safada... que gosta de dois paus. Foi quando ela parou de chupa-lo para responder: - Adoro... gosto muito disso meu amor...obrigado! E gemeu alto agora, se apoiando com as duas mãos em meu peito. Começou a esfregar a buceta com força e gemeu mais alto ainda e gritou: - Enfia dois....aahhhh....

Não entendi direito na hora mas percebi que o amigo ali tinha enfiado dois dedos no cu dela com meu pau atolado em sua buceta. Puxei ela pra mim deixando sua bunda mais exposta. Ela começa a rebolar forte...geme alto.... e goza.....AAHHHHH....... E deixa seu corpo cair sobre o meu. Meus movimentos ficaram mais lentos, mas não parei de bombar. Na verdade ate gostei pois não gozei, meu pau continuava duro e o do amigo também.


Aproveitei e sai debaixo dela, fiquei em pé ao lado da cama e perguntei se ela queria mais. O marido dela respondeu: - Ela vai querer ainda muito mais. Eu olhei para ela e ela me da um sorrisinho  e diz: - Muito mais. Ela se senta na cama e me puxa para perto e volta a chupar meu pau. Depois ela me olha debaixo para cima e começa a esfregar meu pau entre seus seios enquanto fala comigo: - Você e muito gostoso, quero mais...me fode de quatro? E voltou a chupar meu pau. Seu pedido foi uma ordem. fiquei ali de pé e ela se posicionou com aquela bunda linda, empinada apontada para mim. Eu ate agora não tinha visto aquele rabo de marquinha na minha frente e entendi o porque o maridão caiu de cara nele. O cuzinho dela era lindo, apertadinho, rosa. Não resisti e fiz o mesmo cai de boca naquele rabo, chupei a buceta o cuzinho, tudo que podia ali. Enfiei o quanto consegui minha língua para dentro, ela era realmente uma gostosa. Seus gemidos aumentaram, foi quando dei um tapa generoso naquele rabo e posicionei meu pau na entrada de sua bucetinha. Ela se empinou mais e penetrei com vontade.


Meu pau entrou de uma vez, já iniciei com estocadas fortes, sabia que podia gozar a qualquer momento mas eu não tinha controle sobre mim. Segurei seus cabelos e olhei para seu marido como se tivesse pedindo permissão. Permissão dada, puxei seus cabelos e trouxe sua cabeça para trás. Me curvei ate que podia falar com ela quase que colocando minha língua no seu ouvido. As estocadas eram fortes, então tratei de falar algumas coisas para ela:

- Ta gostando sua putinha? Ela virou seu rosto como que esperando um beijo que não vinha e respondeu que sim. Eu continuei: - Pois eu ainda vou comer seu cu sua safada. Ela respondeu gemendo: Eu queeroooo....Olhei para o marido dela e perguntei se ele queria ver sua esposinha dando o cu. Ele respondeu que sim e não parava de bater punheta. E continuei: - E vou gozar na sua boca sua safada. Ela olhou para o marido e disse: - Amor! Ele disse que vai gozar na minha boquinha... você deixa? Ele respondeu que sim. Comecei a chupar sua orelha enquanto a fodia forte foi quando o marido colocou seu pau na boca dela. Me levantei um pouco e fiquei vendo essa cena. Ela o chupava e seu rosto sempre modificava quando eu a estocava. Ela fazia movimentos de dor e prazer.

Tirei meu pau da sua buceta e comecei a pincelar seu cuzinho, ela se desvincilha do pau do marido e fala: - Espera. Parei e fiquei meio sem saber, então ela deita o marido na cama e começa a cavalga-lo. Parei um momento para observa-los e então ela me olha e pede: - Come meu cu agora. Eu fiquei ali olhando o pau do cara sumir naquele bucetao, via ele abrindo o cuzinho dela exatamente como eu fiz antes. E pra mim que só tive relacionamentos calmos, na primeira aventura já vou participar de uma DP.


Me posicionei por trás, com cuidado para não resvalar no cara e fui enfiando meu pau no cuzinho dela. Sinceramente pensei que seria mais difícil, mas devido a excitação ele foi entrando e ela gemendo muito. Do nada os dois começam a se xingar. Ele a chamava de puta safada, vaca, cachorra e ela o chamava de corno, putao, e outras coisas mais a intensidade ficava maior eu ia gozar mas esculto que o cara gozou. Ele começou a gemer alto e gozando. Eu então aumentei o ritmo mas ele saiu debaixo dela a posição ficou meio desconfortável e então ela pediu para mudar. Pediu para eu me deitar na cama, ficou de costas para mim na posição de cavalgada invertida. Foi sentando lentamente com aquele rabão no meu pau. Inicialmente eu pensei que ela ia encaixar na buceta, mas não, ela encaixou no cuzinho e foi descendo. Depois se jogou para trás e foi rebolando lentamente e enquanto ela subia e descia ela falou: - Faz seu papel de corno amor.

O cara foi beija-la, depois mamou seus peitos e depois percebi que ele foi descendo e chupando a buceta dela enquanto meu pau tava todo estocado no seu cuzinho. Ela se mexia movimentando seu quadril, nisso meu pau bombava mais e a língua do marido a esfregava a buceta enfiando a cabeça dela na sua buceta. Fiquei preocupado o cara tava próximo do meu pau e se ele o coloca-se na boca eu não teria como impedi-lo, e essa encucação não me deixou gozar, diferente dela que gozou....gritou... gemeu .... eu percebi que ele tinha enfiado dois dedos dentro da buceta dela enquanto chupava.. Saiu de cima de mim me olhou e falou: - Você e difícil de gozar hein.... Gostei.... Agora goza na minha boca. Ela ficou de quatro na cama e abocanhou meu pau, chupou como no inicio. Ela me olhava e começou a falar, alternando chupadas e punhetando:

- Goza na minha boca.... Olha.... O corninho ta olhando....Mela toda a minha boca com seu leitinho....gozaaaa....eu quero....

Aqueles olhos verdes, aqueles seios, aquela posição de quatro, tudo misturado não me deixou resistir mais. Gozei jatos, ela engolia o que dava, o que não dava, escorria por sua boca e seu rosto. Ela ficava passando  meu pau por todo o seu rosto. Seu marido delirava perguntando se tava bom, ela dizia que sim.

Ela se levantou e voltou para o chuveiro, só que dessa vez fechou a porta. O cara se vestiu, eu fiquei meio perdido, pois foi cansativo, tava meio atordoado, procurei minhas roupas e as vesti. O cara foi em direção a sala meio que me chamando, eu sai atrás dele. Quando chegamos ele meio que me querendo ver longe dali falou para nos marcarmos um outro vinho outro dia, eu, claro que aceitei e ele foi me levando para a porta e abriu. Eu me despedi dele, fiquei sem saber o que falar mais. Já saindo falei que gostei muito de te-los conhecido ele agradeceu, agora, um pouco mais seco. E falou que iria me ligar para um outro vinho, outro dia. Eu falei claro que sim e ele fechou a porta.

Sai dali, sinceramente sem saber o que estava acontecendo, fui embora pensando em tudo e nesse momento me lembrei da minha ex. Sera que eu conseguiria fazer isso com ela? Foi quando lembrei que ela já não estava mais na minha vida. Pensei por um breve instante e se eu ao invez de ter sido tao ciumento, tivesse proposto uma relação aberta para ela? Esse casal deve ter tido varias brigas antes de se tornarem assim, como eles chegaram a essa conclusão? Sera que estão certos? Não sei...Depois percebi que eu não conseguiria ter uma relação assim. Eu não sou assim. Ah.... se teve outras? Sim. Sempre voltei ao super mercado com a esperança de encontra-los e os encontrei.

BDS







sexta-feira, 20 de março de 2015

MINHA NAMORADA BOTOU VIAGRA NO MEU SUCO

Me chamo Marcos tenho 33 anos, e namoro com uma morena linda e gostosa que se chama Fernanda ela tem 22 aninhos...
Namoramos há uns cinco meses, e nossa vida sexual é bem ativa, gosto muito de coisas novas para apimentar a relação...
Como a Fer é mais nova tem menos experiência, então eu trato de ensinar muitas coisinhas e ela obedece tudinho, às vezes é difícil convence-la de algumas.
coisas, mas com jeitinho ela faz tudo o que eu peço...
E ela é daquele tipo de mulher que tem uma cara de santinha, de boa menina...
Sempre vem com aquela história de: _ não amor, não!
mais no fundo é safada e se transforma quando tem seus instintos sexuais aflorados...
Mas hj vim contar uma das nossas experiências juntos...
Estávamos de férias na praia, foi uma das melhores férias q passamos juntos... nossas transas estavam cada vez mais picantes e prazerosas...
Naquela semana percebi que a Fer estava pegando fogo, louca pra me dar tudo e satisfazer suas fantasias...
Olha o que a danadinha aprontou...
Era umas 19h30minh estávamos voltando da praia andando, pois a casa onde estávamos era bem próxima ao mar,
foi quando encontrei um pessoal conhecido e resolvi e conversar um pouco...
A Fer me disse que iria na frente, pois estava louca para tomar um banho, ela foi e eu fiquei ali conversando.
Mas a safadinha já tava com outros planos na sua cabeça... ela preparou uma mesa muito linda com frutas e um suco bem gelado...
Eu cheguei vi aquela mesa e fui logo me sentando, ai ela me disse:
_ Amor prova esse suco q eu fiz, esta uma delícia!
e eu já estava com sede provei, não notei nada de estranho no suco,
mas a safada na minha namorada colocou viagra no meu suco, não sei como ela conseguiu o comprimido, pois ele só é vendido com receita...
eu tomei tudo o suco, e ela me disse agora vai tomar um banho bem gostoso... pra vc relaxar!
Enquanto eu tomava banho ela foi para o quarto e ficou me esperando.
Sai do banho e ela estava lá na cama toda linda com uma camisola nova...
Nossa então não resisti e fui até ela e começamos a nos beijar, até ali o remédio não havia tido efeito...
Ela estava louca de tesão, ela subiu em cima de mim, começou a lamber minha orelha, minha boca, meio queixo... me mordia.;
Pediu pra eu ficar bem quietinho, e eu já estava gostando só obedecia.
A safada tava me deixando louco, lambia meu corpo, começou a chupar minha vara, que já estava dura... ela pegava no pau com a mão e começava a me atiçar chupava lambia... pegou uma pedra de gelo e começou a passar perto das minhas bolas, ela chupava o gelo e metia a boca no meu pau... com aquela boca deliciosa geladinha no meu pau duro, eu tava quase gozando...o tesão era d+++;
Quando vi q não tava mais agüentando peguei ela e comecei a chupá-la tbm... a bucetinha dela tava toda inchadinha e encharcada...pulsando tesão!
Foi ai q o remédio começou a fazer efeito... nunca senti aquilo antes não podia controlar parecia q iria explodir...
Peguei meu pau e meti ele na buceta da minha namorada, ela deu um grito, pois não estava esperando q eu fosse meter de uma vez...
Não pude controlar o tesão era muito... comecei a socá-la sem dó e ela gritava:
_para amor, para vai me fuder toda...
Mais eu não conseguia, quanto mais era gemia e gritava mais eu ficava doido de tesão, então dava tacadas mais fortes...
Percebi q ela começou a entrar no ritmo e q estava quase gozando tbm...
Coloquei ela de quatro, segurei bem forte a cintura dela e enfiei meu pau, nossa os gritos dela eram de enlouquecer, eu metia forte, forte e ela gritava:
_para amor, hum, Aiii... para amor...hum ...ta me arrombando toda!!!!
Eu socava tão forte q ela dizia q as minhas bolas iam entra nela tbm...
Ela começou a entrar em êxtase e a tremer de tanto tesão... começou a gritar:
_ Vaiiii acaba comigo vaiiii... to gozando vaiiii...
Então comecei a descarregar tudo...
Paramos um pouco e começamos a nos beijar, e ela gemia dizendo:
_ amor... assim vc me mata!
Pedi pra ela chupar meu pau... ela me obedeceu, começou a chupá-lo e então pedi pra ela virar sua bundinha pra mim pra eu chupar aquela bucetinha arrombada e aquele cuzinho delicioso!!!
Começamos a fazer um 69 fantástico... que tesão!
Ela tava quase gozando na minha cara...
Eu vendo aquela bundinha linda comecei a lamber aquele cuzinho, e a encher ele de saliva; pois já tinha a intenção de meter nele tbm!!
Comecei a cutucar aquele cúzinho com um dedo, quando ela viu o que eu queria já começou a gemer e dizer:
_Amor.. hj não! Amor hj não... senão vc vai me matar!
Coloquei um dedo no cú dela e ela gemeu... coloquei dois dedos e comecei a abrir aquele cuzinhoo;;;
Enquanto isso ela chupava meu pau e fazia movimentos fortes, com a mão naquela vara q estava dura de tanto tesão...
Quando eu já não agüentava mais, peguei ela e disse com ar de bravo:
_ deita na cama e empina essa bunda pra mim!
Ela disse_ não amor..hj não!
Eu segurei ela forte e disse, empina logo essa bunda pra mim!!!
Ela com voz de choro obedeceu!
Então eu falei: _calma amor eu vou bem de vagarinho não vou te machucar, vai ser como das outras vezes;;;
Com aquela bundinha linda na minha frente eu fiquei doido...
Meti dois dedos e comecei abrir o cúzinho apertadinho dela, peguei um lubrificante e enchi o lugar pra ficar mais fácil de penetrar... conforte eu colocava meus dedos lá, o cúzinho dela chupava meus dedos pra dentro...
Quando vi q já estava bem aberto, coloquei a cabeça do meu pau nele e ela gemeu, comecei a penetrar bem devagar...
Ela gemia, mandava eu parar, mais eu continuei... ela começou a gemer e gritar:_não amor..não!
Ahhh q tesão ouvir aquilo... eu na me controlei comecei a fuder aquele cú, sem dó...
Ela gritava e gemia, tentou fugir mais eu segurei ela, quanto mais ela tentava fugir mais meu pau ganhava força pra meter!!
Quando vi q ela já não tava agüentando, escorreguei e meti na bucetinha dela...
Coloquei ela em cima de mim, apertei ela pela cintura e meti ela no meu pau!
Meti forte, bem forte... ela gritava!!!:_paraaaa, aiiiii ta me fudendo todaaa!!!
Na mesma hora q ela peidia pra parar ela gritava: _vaiiii... hum... vaiiii ta quase lá!!
Eu tava em delírios,, tava quase atravessando ela no meu corpo...
Ela começou a gozar sem parar, gritar, gemer, se movimentar mais rapido.
Pedi pra ela chupar meu pau com gosto, então vi ela chupando meu pau cheio de gozo dela...
Não agüentei e enchi a boca dela...
Nossaaa foi d+++... uma das melhores transas da minha vida...
Eu fiquei maluco de tesão!
Só no outro dia a safada foi me contar o que havia aprontado...
Mau sabe ela que pra dormir de pau duro foi super dificil


terça-feira, 10 de março de 2015

OS LIMITES DA CUNHADA



Olá pessoal. Não imaginava que voltaria a relatar tão brevemente neste site que sou viciado. Por mais que tentei evitar não teve jeito e acabei comendo minha cunhada novamente. Isso aconteceu no dia onze de março, num domingo. Eu e minha namorada demos uma passada na casa de sua irmã (Cristina) sem compromisso. Chegamos, entramos e colocamos a conversa em dia. Lógico que minha cunhada estava um pouco afastada de mim, com certeza com remorso com a foda que tivemos. Conforme o tempo que estávamos ali ela foi se soltando mais e puxou corriqueira conversa comigo. Seu marido pegou uma garrafa de vinho da geladeira e começamos a beber. O vinho além de delicioso estava bem gelado. Com o calor do vinho começamos a nos soltar mais. No meio da conversa o telefone toca e meu cunhado foi atender, era a patroa de Cristina precisando dela.

O sitio ficava longe e era complicado conseguir um ônibus aquela hora. Prontifiquei-me então a levá-la. Minha cunhada disse que não precisava mas com minha insistência ela acabou aceitando. Imaginei que Cristina levasse uma de suas filhas ou até mesmo minha namorada quisesse ir mas para minha alegria minha cunhadinha iria sozinha comigo.

Pegamos a estrada de terra e fomos a princípio em silêncio. Então iniciei um papo.

- Você está estranha comigo cunhada!

- Impressão sua está tudo bem!

- Foi por causa daquele dia em casa?

- Está dificil esquecer o que fiz com minha irmã!

- Não esquenta com isso Cris já passou!

- É mas ela é minha irmã e não merecia isso!

- Concordo mas acontece que nós dois estávamos com vontade! E mais, quem estava vendo os filmes pornô era você!

- Fiquei curiosa só isso!

- Você curiosa e eu excitado!

- Você foi atrevido em mostrar o pintão duro pra mim. Eu não sou de ferro né!

- E eu nem viado a ponto de ver você toda gostosa na minha frente sem tentar nada com você!

- Então você queria me comer?

- Claro! Estava louco pela sua bundinha!

- Safado!

No calor da conversa meu pau levantou a lona da bermuda. Minha cunhada fitou e comentou.

- Olha o cacetão duro de novo. Você é foda mesmo hein!

Perguntei se estava longe o que minha cunhada respondeu que faltava uns cinco quilômetros ainda. A estrada era deserta com pasto dos dois lados. Mais adiante tinha um taquaral com lugar ideal para parar o carro. Parei e Cristina indagou:

- Por que parou D.?

Sem demora tirei o pau da bermuda e mostrei pra ela.

- Olha como está cunhadinha.

- É realmente seu pauzão é gostoso mas é melhor irmos embora!

- Ah não! Vem dá uma chupadinha nele dá!

- Não, é melhor irmos embora!

Peguei na mão dela e levei no meu pau. Cristina segurou meio querendo soltar mas segurei na mão dela e comecei a movimentar até soltar e deixar por conta dela.

- Por favor cunhado não!

- Vêm chupa gostoso teu cunhado chupa!

Cristina então abaixou a cabeça e começou a mamar gostoso minha rola.

- Que boquinha gostosa cunhadinha aaaaaaaaaiii...delicia...

Ela mamava com vontade. E dizia:

- Ai D. sua rola me deixa faminta! Ai que cabeção gostoso...

Enquanto ela chupava passei a alizar sua bucetinha. E já indicando que estava na hora de fuder. Cristina então diz:

- D. NÃO!

- O que foi?

- Não posso dar pra você!

- Pô por que não?

- Gosto muito do meu marido e ele não merece ser corno!

- Essa não!

Cristina então completa:

- Vamos fazer um trato. A buceta é do meu marido e o cú é seu já que ele não come mesmo!

Fiquei feliz da vida com sua proposta afinal sou louco por um cuzinho mesmo. Com a minha aprovação minha cunhada ficou de quatro e abriu o bundão pra mim.

- Vêm D. coloca essa cacetão mas devagar. Aquele dia fiquei uns três dia com o cú ardendo!

Salivei o rabinho delicioso dela e a cabeça do meu pau e encostei na entradinha. Cris deu um suspiro forte esperando a enrrabada. Forcei a cabeça bem devagar.

- Ai D. vai bem devagar...uuuuuiii...ssssssssssssss...aaaaaaiiii...que gostoso cunhado.

A cabeça entrou e fiquei alguns segundo até o cú acostumar. Em seguida coloquei o resto do pau até o saco. Comecei a bombar lentamente até aumentar o movimento de vai e vem.

- Que delicia de cú cunhadinha, adoro seu rabo!

Plaft, plaft, plaft no rabão da minha cunhada. Já comi muito cú mas da minha cunhada era especial.

- Ai D. que delicia de pau. Isso come com vontade sua cunhadinha. Daqui pra frente esse cuzinho é seu, só seu!

Plaft, plaft, plaft, plaft...

- Não vou esquecer disso hein! Sempre que quiser vou comer sua bundinha!

- Pode deixar não precisa nem me lembrar pois estou adorando dar o cú pra você cunhadinho!

Enquanto enfiava a rola no cú dela seu bundão balançava no ritmo do vai e vem. Meu pau começou a dilatar dando sinal que o gozo se aproximava. Soquei com mais força e logo inundei o rabo da minha cunhada com muita porra.

- Isso cunhado enche meu cú de leitinho enche gostosão!

- Ai que bunda gostosa Cris!

A safada rebolava com meu pau entalado no cuzinho. Tirei o pau com jeito para não sujar o banco do carro. Assim que tirei a porra escorreu em sua perna. Peguei sua calcinha e limpei antes de cair no banco. Desta vez ela não reclamou de dor. Pelo jeito o cuzinho dela já era meu mesmo.

Nos recompomos sem antes Cris dar um beijo e uma chupadinha basica no cabeção antes de seguir o destino. No sítio ela foi ver o que sua patroa queria e voltamos logo com minha cunhada segurando no meu pau até alguns metros de sua casa. Tanto seu marido como minha namorada não perceberam nada.

E assim meus amigos leitores é a vida. Eu nunca imaginei que comeria uma cunhada minha. Lí tantos contos que envolve incesto, cunhada e mulher casada nunca imaginando se seria capaz de comer um dia. No fim o cuzinho da minha cunhada é meu sempre que quiser.