MARIDOS EMPRESTAM AS ESPOSAS 25 VIDEOS - 06 NOVOS videos

TEMOS AQUI MARIDOS QUE EMPRESTAM - 


ESPOSA FILMADA MUITO GOSTOSA - 1:12



DEIXOU A ESPOSA DAR MAS SEM SABER QUEM E



LEVOU A ESPOSA PARA A CASA DE SWING E LIBEROU


PRESENTE PARA A MULHER MAS PELO JEITO ELA JA CONHECIA 4min.



NO BARCO EM ALTO MAR UM MENAGE PARA A ESPOSA 8min



TOMOU CUIDADO PARA NAO MOSTRAR OS ROSTOS MAS LIBEROU A MULHER 5:50min



DOIS AMIGOS E A ESPOSA 3min


LIBEROU A ESPOSA EM CASA - 11min



O LIBERADOR TEVE DE PARTICIPAR - GRINGO - 4min.


ELA SE DIVERTIU PRA VALER


LIBEROU A ESPOSA NA PRAIA DE NUDISMO - PENA QUE O VIDEO E CURTO


ESSE ENTREGOU A ESPOSA E DEIXOU GOZAR NA BOCA - 1:30min



Acho que o marido ta gostando mais que ela - 1:02min


ESPOSA BEM SAFADA - 52 seg.


ESSE NAO TEM PENA DA ESPOSA - 58seg.


O velho fetiche da loirinha com o negao - 48seg.


Video curto - 48seg - mas bem realista do que se acontece em casa de swing


CASAL CORNUD - Dois videos desse casal liberal - excelente


ABAIXO VIDEOS MAIS ANTIGOS

1:28min



2:00



0:52



0:47


1:02



0:29 seg


0:29


1:20


1:03




0:46seg

13 comentários:

  1. O meu marido também já me emprestou durante uma tarde a um negrão. Eu tinha a fantazia de exprimentar o pau de um negro, o que ocultei do meu marido durante alguns anos. Sucedeu porém que numa noite, em que ambos assistimos a um video em que um negro, possuidor de um pénis monstruoso, transava com uma jovem branca e ela, embora inicialmente demonstrasse dificuldade em encaixar tão enorme pausão, tentando ainda desistir quando começou a sentir que ia ser arrombada, mas depois de tudo ter entrado os seu gemidos eram de prazer. Perante estas imagens e estes gemidos fiquei tão excitada que o meu marido foi apalpar as cuequinhas que eu tinha vestidas, verificando que estavam encharcadas. Foi então que o meu marido me perguntou se eu gostaria de ter uma experiência semelhante. Não consegui negar que na verdade tinha essa fantazia e êle, bastante compreensivo, concordou emprestar-me, com a condição de êle assistir e ser apenas uma tarde, para evitar que houvesse de minha parte a tentação de o trair. Falta dizer que tenho 34 anos e casada á 10. Foi o meu marido que contactou o negrão, mostrando-me uma foto para eu decidir se o aceitava. Evidantemente que disse que sim, pois não desejava perder a oportunidade de concretizar a fantazia que á tanto tempo tinha no pensamnnto. Escolhemos um motel e tudo decorreu tal como havia imaginado. Realmente nunca tinha sentido um pénis tão velumoso dentro de mim e não consegui evitar de pronunciar uns ais prolongados no inicio da penetração, aos quais se seguiram gemidos de prazer e orgasmos multiplos. Não fomos além do sexo vaginal e oral que antecedeu a penetração, comigo a receber, pois o meu marido assim condicionou para me emprestar naquela maravilhosa tarde de sexo. Êle confirmou posteriormente quanto prazer sentiu ao notar o meu goso. Foi uma tarde que ambos recordamos e que nos excita imenso quando nos preparamos para foder.

    ResponderExcluir
  2. Um marido anónimo16 de março de 2016 20:16

    Não compreendo o prazer que alguns maridos poderão ter quando observam as suas esposas ser fudidas por outros homens, excepto se forem impotentes. No caso de uma menagem, mesmo masculina, ou numa troca de parceiros, ainda aceito, porque poderá ser uma nova experiência para ambos, desde que seja de comum acordo, mas num emprestimo de esposas, onde os maridos ficam como expectadores ou simplesmente masturbando-se enquanto as esposinhas abrem as pernas para outro fulano meter nelas, ver a sua cona penetrada por um caralho diferente, é que eu tenho uma certa dificuldade em compreender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exprimenta emprestares a tua esposa, contigo a assistires e, vais ver o prazer que existe ao veres a tua querida deliciar-se nos braços de um outro homem que a beija, não só na boquinha como também todo o corpo, incluído a cona no sexo oral e ela demonstrando quanto está gozando ao sentir um caralho diferente penetra-la inclusivamente também no cuzinho se ambos estiverem de acordo.

      Excluir
  3. Não me importava nada que o meu marido me emprestasse durante uma noite, desde que fosse alguém á minha escolha. Gostaria que ele participasse ou assistisse, mas se os seus ciúmes não permitissem ver-me nos braços de outro homem e ser penetrada por ele, também não me importava de passar essa noite sem o meu marido. Tenho saudades de sentir algo diferente dentro de mim, mas nunca o trairei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem gostava que a minha esposa tivesse idêntico desejo. Já lhe propus fazer uma troca de casais, reparti-la com alguém que ela desejasse, ou empresta-la por uma noite ou uma tarde a um homem á sua escolha, condicionando apenas eu assistir, porque creio que iria ter enorme prazer ao ver o gozo que ela teria com um caralho diferente a penetra-la. Ela tem 33 anos, somos casados á 5 e sempre tem afirmado que a satisfaço sexualmente, portando não aceita qualquer experiencia extraconjugal.

      Excluir
    2. Uma pena, meu amor quem escolhe meus parceiros e só tenho o dever de abrir as pernas desde o início já combinamos assim. Se vc for do rio manda uma mensagem quem sabe podemos te ajudar

      Excluir
    3. Uma pena, meu amor quem escolhe meus parceiros e só tenho o dever de abrir as pernas desde o início já combinamos assim. Se vc for do rio manda uma mensagem quem sabe podemos te ajudar

      Excluir
    4. É um sistema que não aceito, eu é que da darei sempre a ultima palavra na escolha daquele para quem vou abrir as pernas.

      Excluir
  4. Também tenho esse desejo sou casado a 13 anos, eu 35 ela 28, mas sempre que toco no assunto ela fica nervosa, se alguém puder me dar uma dica, principalmente de mulher deixo aqui meu contato 11 973723680 chama no whats

    ResponderExcluir
  5. Comecei a demonstrar ao mau marido que desejava ter uma experiencia sexual com outro homem, pois, somos casados á 8 anos e foi ele o único homem da minha vida, enquanto ele teve várias experiencias sexuais com outras mulheres. Inicialmente não aceitou a ideia, mas depois de alguma insistência da minha parte e talvez com receio de eu saltar a cerca, acabou por concordar em me ceder a outro homem desde que seja um negro e ele lhe cedesse também a esposa quer seja negra ou mestiça. Exige também que a troca seja no mesmo quatro, quer ver se aguento uma piroca fora do normal e ouvir se grito com dores quando for penetrada. Na verdade estou com um certo receio, pois tenho visto, em videos, alguns negros com uns paus tão grossos e compridos, que se for um desses não sei como será, porque como ainda não tive filhos estou muito apertadinha. O meu marido é que está procurando um casal para o efeito, mas pedi-lhe para que o elemento masculino não tenha um pau excessivamente grosso e comprido. Por enquanto aguardo; o meu marido diz que será uma surpresa.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A surpresa surgiu mas diferente da que esperava. Falamos, eu e o meu marido, durante vários meses sobre o assunto e fiquei realmente surpreendida do meu marido ter abdicado da troca de casais para me conceder uma menagem masculina. Na verdade era o que eu preferia, pois além de experimentar outro caralho penetrar-me ia ter 2 homens minha disposição a dar-me prazer. Não foi fácil encontrar o parceiro ideal. Eu preferia um branco, tinha receio não aguentar a geba dum negro, mas o meu marido desejava ver-me com um negro e se eu visse que não aguentava que desistia. Assim acabei por aceitar um negro. Foi difícil encontrar o parceiro ideal. Procuramos na internet no site de acompanhantes. Falamos por telefone com alguns que não agradaram, até um nos pareceu realmente decente. Era de São Tomé, segurança na embaixada, disse chamar-se Tito, ser casado, mas que desejava exprimentar sexo com uma branca, nunca prostitutas com medo de doenças. Encontramo-nos um dia num restaurante ficando combinado para um sábado á tarde, num motel, pois á noite não tinha justificação para a esposa. No dia aprazado cheguei com o meu marido ao motel após o meio dia e pouco depois chegou o Tito. Apesar de ser algo que eu desejava, estava nervosa, nunca tinha estado nua na frente dum estranho, mas estava tão excitada que as minhas cuequinhas escorriam para as coxas. O meu marido começou a beijar-me de lingua e o Tito aproximou-se por traz e beijando-me o pescoço e assim me levaram á cama. Nesse momento já nada me importava. Ambos me despiram e se despiram também. Fiquei nua tal como eles. Tanto o meu marido como Tito tinham os seus paus já duros. Foi quando vi o que o Tito tinha entre as pernas. Aquilo não era o caralho dum ser humano, era enorme, a ponta da cabeça mais fina, mas o corpo tinha uma grossura que parecia dum jumento. Bem negro cheio de veias salientes. Pensei em desistir, aquilo ia rasgar-me, mas era tão lindo que resolvi experimentar. Caí de boca naquela beleza mas apenas consegui alojar a cabeça que lambi e chupei, saboreando algum liquido que escorreu. O corpo não consegui meter; aquela grossura magoava-me os cantos da boca. Deitada na cama, enquanto o meu marido me beijava e sugava os mamilos, o Tito abria-me as pernas, afastando-me as cuequinhas começou por lamber e me beijar as coxas até aos grandes lábios vaginais. Sentia ondas de prazer e muito mais quando meteu 2 dedos na cona e com a lingua circundou o clitoris. Foi o primeiro orgasmo. O meu marido novamente me beijava de lingua, o Tito arrancou-me as cuequinhas e abrindo-me mais as pernas colocou-se entre elas, roçando com a cabeça da sua geba os meus lábios vaginais. Eu tremia, receando o que estava para acontecer. Aquela cabeça roçou-me durante vários minutos até que o Tito disse: vou meter só a cabeça. Serrei os dentes e aguentei. Era gostoso. Comecei a sentir a cona dilatar. Ele estava tentando meter o resto. Dei um grito e pedi para parar. O meu marido disse que podia desistir, mas eu cheia de tesão, desejei continuar. Pedi ao Tito para meter mais um pouco, mas apesar da excitação que escorria, aquilo não cabia: dei novo grito. Ele meteu mais um pouco e novamente gritei. Percebi que o meu marido disse qualquer coisa ao Tito e logo este deu uma estucada que meteu aquilo tudo. Então é que eu berrei. Aí, ai, caralho que fui rasgada e o utero chegou ao estomago O Tito ficou parado dentro de mim e o meu marido beijava-me com carinho dizendo que o pior tinha passado. As dores foram passando, mas tinha a cona esfolada e o Tito iniciou um vai vem. Apesar do ardor comecei a sentir prazer e como não tinha camisinha senti também a minha intimidade inundada, provocando-me grande orgasmo. Ao retirar aquela geba da cona, escorreu bastante langonha mas com muito sangue á mistura. Nem quando perdi a virgindade saiu tanto sangue. Não irei descrever todas as posições em que fudemos, não faltando a DP mas com o meu marido no cuzinho. Foi aí que obtive o maior orgasmo da tarde. O Tito foi embora e eu passei a noite com meu marido no motel, onde gosamos uma noite de intenso amor.

      Excluir
  6. Convenci a minha esposa a praticarmos uma menagem feminina. que decorreu muito bem, ambos adoramos, depois ela propos uma menagem masculina e eu sem pensar como seria ver outro homem foder a minha esposa aceitei, mas quando chegou momento do outro homem ficar sobre ela e meter o seu caralho imensamente grande grosso na sua cona e a minha esposa gritar que não aguentava, que sentia rasgar, senti ciúmes, um aperto no coração e pedi para desistir, mas ele não parou e meteu-o todo. A minha esposa ficou com a cona esfolada, embora depois de estar todo dentro, durante o vai vem gemesse de prazer. Eu é que senti uns ciúmas danados. Colocamos ume pedra sobre assunto e decidimos não repetir idêntica aventura.

    ResponderExcluir